Explicando…

Há um tempo atrás, em um comentário, alguém disse que eu simplesmente dizer que este é o meu blog e eu falo o que eu quiser não era argumento. Que eu devia explicar direito o que eu queria, já que eu já tinha escrito argumentações muito melhores que esta. E eu fiquei de postar um post a respeito deste assunto, mas nos rolos da Nokia acabei deixando pra lá.

E ultimamente vem esta cobrança denovo. Gente me pedindo satisfações ou explicações sobre o que eu faço ou deixo de fazer. Então eu vou explicar porque eu não respondo e porque tanta gente me detesta.

Tem gente que acha que o fato de eu ser conhecida, ou formadora de opinião, ou líder de comunidade, eu deveria não falar x ou y. O que pra mim é uma tremenda contradição. Se as pessoas me ouvem, não é exatamente porque elas sabem que eu falo o que eu penso, e não vou deixar de falar porque virei isto ou aqui? E que se elas já me ouviam e continuam ouvindo, eu devo estar falando alguma coisa verdadeira?

Geralmente, homens parecem ser mais sensíveis a respostas ríspidas vindas de mulheres do que de outros homens. Isto eu já reparei muitas vezes. Os caras estão ali se xingando a horas, mas se você dá uma resposta atravessada, pronto, é o fim do mundo. E nem importa se eles estavam dizendo que você é uma feminista marxista ou deliberadamente fazendo trollagem no canal e foram banidos. Isto só vai servir para provar que você é autoritária, arrogante, megera, estas coisas que vocês sabem como é. E também, eles não repararam que eu não estou nem um pouco interessada em ser unanimidade, politicamente correta ou amada por todos. Pelo contrário, se um troll me odeia, eu fico é muito feliz, porque isto mostra que eu sou uma pessoa sensata.

Por exemplo, o Patola. O Patola, conhecido pelo Efeito Patola, até mereceria meu respeito pelo fato de ele assumir quem é, e assumir que é chato. Mas convenhamos que ele tem sérios problemas para dizer o que os outros devem ou não devem fazer. Afinal, ele é conhecido pelo desejo de morte ao Slackware, enquanto acha que eu não posso dizer que não gosto de Debian. “Não gosto”. Não desejo a morte, apenas não é pra mim. Mas a grande prova que ele queria que somos autoritárias e um movimento perigoso foi quando um dia no canal ele foi banido. Estavamos todas no canal, algo raro, porque foi previamente combinado, umas duas semanas antes, com uma jornalista de Barcelona que queria entrevistar todas. Todos no canal estavam sabendo, todo mundo arrumou tempo e largou outras coisas para estar lá no horário combinado. Como não podia deixar de ser, o Patola viu uma oportunidade de aparecer, e começou a querer debater as opiniões no canal, atrapalhando a entrevista. Viu, entrevista, não debate. Após duas tentativas minhas e mais duas da Renata de tentar fazer ele parar de atrapalhar, foi banido. E obviamente este é um sinal de que somos fascistas. Não é fantástico?

Alias, todo este lance do Debian é outro exemplo. Neste aí eu realmente podia ter sido mais clara. Mas mesmo que eu dissesse “eu segui as orientações do Maçan, e quando fui tentar entender o sistema, não existia o comando man nem as manpages estavam instaladas, eu não entendi o dpkg”, também iriam me xingar. Então, dane-se, eu amo meu Slackware mesmo.

Eu não explico primeiro porque não tenho paciência. Segundo porque eu não me sinto na obrigação de dar explicações. Isto eu dou pra minha mãe, pros meus chefes, pros meus amigos. E mesmo assim, poucas vezes. Eu explico uma vez, ou justifico. Se for o mesmo assunto, tentar explicar novamente só se for alguém muito importante. A terceira vez, nem pensar. E claro, isto pra quem eu acho que merece explicação. Sabe porque? Porque não adianta.

Todo mundo sabe que tem muita gente que quer apenas tumultuar, não debater. Que quer apenas aparecer, não construir. Que se dói imensamente pelo fato de o Linuxchix ou eu de vez em quando aparecer em alguma notícia. E poxa meninas, é tão obvio que qualquer coisa, absolutamente qualquer coisa que vocês expliquem não terá validade, que eu me admiro vocês perderem tempo e energia. Pensem, o Linus Torvalds vive sendo xingado “porque fez apenas um kernel”, o Morimoto, o Stallman então nem tem mais graça. Como o próprio Morima fala, “quando um cachorro late enquanto você passa, você não vai ficar bravo com o cachorro; vai entender que ele é uma criatura limitada e que não vai entender”. Ou num provérbio chinês mais adequado: “não adianta querer ensinar um porco a cantar, você perde seu tempo e incomoda o porco”.

Ficar querendo se explicar pra troll é insano. Tudo que você falar vai ser usado contra você. Tudo que você disser vai ser cuidadosamente montado para parecer que você só falou coisas ruins e no fim das contas eles é que foram vítimas. Óbvio que não vão postar as provocações, vão postar só o que interessa. E o que eles querem é isto, que você dê atenção. Enquanto você responde, eles atingiram seu objetivo. Veja, eles estão dando pulinhos de alegria porque eu tirei sarro deles. Sim, porque isto significa que eu estou irritadíssima com eles e então eles tem razão. Não é o máximo?

Por favor né meninas. Alguem que acha que a Bani faz Administração e que nem deve saber o que é produto vetorial, como se isto fosse o fundamento da computação, merece toda esta atenção? Ou vocês concordam que é um calouro que acabou de entrar na universidade, tá deslumbrado e nem se tocou que entrar é fácil, quero ver sair???

Alias, acho que os índices de popismo, como diria o Verde, são definitivamente estabelecidos quando você ganha uma página I hate you. Eu achei o máximo. E vocês estão se apegando as asneiras que eles falam. Sabe o que eles conseguiram??? Triplicar o número de acessos no site. Duplicaram os acessos aos artigos, palestras. Fazia tempo que eu não recebia tantos pedidos de ajuda em qmail, Slackware, drbd. Provavelmente vai ser um dos maiores públicos no evento deste ano. Vocês realmente acham ruim isto? As críticas são tão tendenciosas que tem o efeito contrário, olha que maravilha.

Então o conselho que eu dou pra vocês é: parem de querer se explicar pro mundo. Isto não funciona, isto é insano e perda de tempo. Explique-se para você mesmo. Estou fazendo certo? Estou prejudicando alguém? Se você se sentir tranqüilo na consciência, se pergunte se a pessoa que está pedindo satisfações merece que você gaste seu tempo explicando, e também se você já não fez isto. Sim, porque infelizmente tem muita gente que se abusa do direito de ser amigo ou parente e quer escravizar você com isto, exigindo que ou você se explique eternamente ou você não é digno de confiança. Eu acho que se eu já expliquei uma vez, e se já me conhece, já tem condições de decidir isto. Eu não vou ficar explicando eternamente. Chega de blá blá blá, lembra? Falei isto mais de dois anos atrás.

E se a pessoa que está pedindo satisfações não tem o menor direito de pedir isto, porque se incomodar? Você já sabe que não vai adiantar, você já sabe que tudo que você disser vai ser manipulado de forma a contribuir para o que te acusam, porque você ainda vai dar munição?

Como eu sempre falo, não tem o que fazer eu te arrumo.

Advertisement

18 thoughts on “Explicando…

  1. Sula,

    Eu concordo com isso, tanto que eu falei estas pessoas so querem mesmo é aparecer então deixa elas que é propaganda gratuita nossa. Mas realmente as vezes é complicado nào querer responder ou xingar o cachorro e dar um chute nele para ele parara de morder a barra da sua calça.

    Beijos

    Lindinha 🙂

  2. hmm.. pois é ai ta uma coisa que aprendi com vcs, ter paciencia com esse tipo de gente, acho que falei o q eu precisava dizer e é isso :D. Como eu disse uma vez .. se as pessoas que eu gosto, gostarem de mim , já ta otimo 😀 pra q mais ??? o resto eu nao tenho contato msm !!!
    bjo pra vcs meninas

  3. Você só deve se sentir racionalmente obrigada a explicar algo que disse quando tem interesse em convencer o seu interlocutor sobre o que disse. Em todas as situações em que não tiver esse interesse, pode racionalmente se limitar a dizer o que quer dizer.
    O fato de você ser uma formadora de opiniões não exime os seus ouvintes da responsabilidade de checar as informações que você transmite. Não é você quem deve certificar de que és uma fonte confiável de informação, mas sim quem confia em você como fonte de informação. Quem deposita essa confiança deve procurar se certificar em que medida pode confiar no que você diz. Enquanto formadora de opiniões talvez a sua única responsabilidade seja a de lembrar, vez o outra, aos seus ouvintes que, enquanto fonte de informação, é falível como qualquer outra fonte e que cabe a eles decidir em qual fonte se fiar.
    É lamentável essa cultura em que as pessoas não se sentem responsáveis por aquilo em que elas acreditam e tentam transferir essa responsabilidade para terceiros. Cada um fala o que quiser, e cabe a cada um filtrar o que o outro disser.

  4. Tu é foda.

    Mas deixe-me meio discordar de uma coisa – em termos teóricos apenas, oquei.

    Num nível, quando você posta uma opinião num blog, você apenas está usando o veículo como expressão de algo que necessita mesmo e não tem nada que dar explicações para fulano e beltrano. Mas lembre-se que isso é o nível de expressão. Não tem de ser censurado (apesar de eu achar que preconceitos sobre religião, sexo, raça e opção seuxal – manter-se virgem incluído aí – deveriam ser sempre muito bem embasados antes de serem cuspidos em qualquer meio de comunicação), apenas aceitos.

    Agora, no momento seguinte que uma pessoa se torna centro ou referência de algo, deveria existir uma preocupação natural no se expressar.

    É mais ou menos assim: se o carinha não deve nada ao mundo, não tem família, filhos, contas a pagar, ele pode fazer a merda que lhe der na telha. Quando alguém necessita dele ou ainda o tem como referência, faz-se mister saber o que você quer passar adiante. Que parte de ti quer que seja lemnbrada.

    Ou não. 😀

    Beijos. Venha logo pro Rio!

  5. Ah, qualé! Isso é tapar os ouvidos com as duas mãos e cantar LALALALALALALA.

    Dizer que os outros querem aparecer? Aparecer quem? A maioria absoluta das pessoas escreve com pseudônimos pra lá de obscuros. Ou você acha que os meus pais eram fãs da Ruth Rocha? Que raio de publicidade é essa que os seus críticos estariam buscando nessa sua teoria furada?

    Mais devagar com as teorias de conspiração. Vamos esclarecer:

    1) Um ou outro zé mané está a fim de aparecer. São MUITO insistentes e costumam assinar com nome verdadeiro ou pelo menos um apelido que usam bastante no fórum que frequentam. Querem que todo mundo veja que sabem mais do que você.

    2) Um ou outro zé mané está a fim de trollar mesmo. Porque é divertido. É fácil identificar porque só dizem besteira que nem lógica tem.

    3) A grande maioria só está a fim de dar pitaco e mais nada, como se faz com política, economia e futebol. Ou computadores. Linux x Unix. Vi x Emacs. Comunismo x capitalismo. Conrinthians x Palmeiras.

    É só bate-boca movido por convicções verdadeiras. Não fique inventando motivos escusos para as críticas que você recebe. Parece depoente de CPI que não quer responder a pergunta e fica inventando tangente.

    As pessoas te criticam porque acham que você está fazendo alguma coisa errada e têm aquele impulso incontrolável de criticar. É natural do ser humano. Mais nada. Mas ôôôô, que viajada na maionese hein!

    Admito que fui meio ríspido quando disse que sua resposta foi uma porcaria, mas foi uma porcaria mesmo e era pra ser uma crítica construtiva. Você agiu muito mal e teria a ganhar com uma mudançazinha de atitude e um pouco mais de cuidado com a qualidade dos seus argumentos.

    Também vi muitos comentários contra as chix em 2 fóruns e achei a maioria bastante sensata. Pouca coisa era trollagem. As chix não estão convencendo. Fez sucesso quando era novidade e deve ser muito bonitinho ver um bando de meninas uniformizadas num evento de SL. Ninguém vai dizer que não gostou. Mas no terreno das idéias, está faltando fôlego e habilidade.

    Mas entrou por um ouvido e saiu pelo outro. Você ainda argumenta que toda e qualquer crítica não passa de gente invejosa querendo puxar seu tapete. LALALALALALALA.

    Acho que o seu recado está dado. Este blog é aberto, mas sua verdadeira intenção é ser fechado. Só deve vir aqui quem quiser mandar beijinhos, abracinhos e congratulações. Você só quer dar a mão para as suas amigas, enfiar o pé na tábua e correr para o desfiladeiro. Amigas para sempre.

    Então tá. Acho que nos entendemos. Obrigado pela atenção e desculpe qualquer coisa.

    **Se não quiser, não publique. Fica só entre nós. Não faço questão NENHUMA de aparecer.

  6. Viu Marcelo? Novamente você faz críticas e sai montando teorias sem saber do que está falando. Se tivesse visto o site antes provavelmente não teria feito com tanta veemencia né? Que tal dar uma passeada pelo site do LinuxChix-BR e antes de formar opinião pelo que fica ouvindo gente do nível deste site aí?

  7. Na-na-não, Sulamita. O site do nastychix é recente e Sua Toskidade tem essa mania de perseguição já faz muito tempo. Mantenho meus argumentos.

  8. Cara, eu realmente acho que as críticas que eu acho válidas eu acato. Tanto que todo este trabalho do Linuxchix eu me propus a fazer, me propus a mudar a cara do grupo quando uma vez, há muito tempo, alguem perguntou: “mas, que é o linuxchix? o que fizemos? que cursos ministramos, que eventos ajudamos, que contribuímos?”
    Eu já vi críticas sobre o fato de que o grupo não deveria existir. Bom, eu acho que deve e é muito útil, e não acho que prejudica ninguem. Não é nenhum apartaid, não tiramos o lugar de ninguém, estamos abrindo o nosso. Ficar jogando palavras no vento “eu já ouvi críticas as chix e concordei, só não falo quais são porque você não aceita” é muito cômodo. E como eu sempre falo, é muito fácil julgar, quero ver ficar no meu lugar.

  9. Ah, esqueci. Você falar que meu comentário foi uma merda é uma crítica construtiva. Eu falar que você tá falando merda deve ser um exemplo de como eu sou mal educada e fechada a críticas construtivas, né? Saquei…

  10. Ai, que bobagem sem tamanho esse seu amigo viu Sula…

    “As chix não estão convencendo”?

    Só digo uma coisa, Linuxchix é um grupo de usuárias, parem de procurar chifre em cabeça de cavalo! o_O

  11. Verdade né Misfit? O grupo não é feito para que eles se convençam de alguma coisa. É feito para que elas se motivem. E se de nós duas há anos, já passamos de uma dezena de chix ativas, estamos convencendo sim!

  12. Aê Sulamita e Chix, na minha humilde opnião, continuem fazendo que gostam. O que importa é que vcs gostam e estão fazendo acontecer.

    Aê Marcelo Marmelo Martelo, você é uma fusão de um mala com um trilhão de chatos de galocha… Isso é uma crítica construtíva 🙂

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s