System down for you too!

systemdown.jpg

Advertisement

Aberta a chamada de trabalhos para o 4º Encontro Nacional Linuxchix Brasil

Ajudem a divulgar, principalmente em Florianópolis e região:

Em 2003, 2004 e 2005, centenas de pessoas em cada ano compareceram ao
Encontro Nacional Linuxchix Brasil. O Encontro é formado por dois dias de
palestras e seminários, apresentados por membros da comunidade de software
livre do Brasil. As palestras apresentadas são inéditas e sobre temas
técnicos, visando capacitação de profissionais em Open Source em geral.

Também buscamos incentivar a participação de mulheres tanto como
congressistas quanto como palestrantes e instrutoras, o que vem aumentando
gradativamente. Com este incentivo, tentamos diminuir a evasão de mulheres na
área e dos cursos superiores de computação.

Após dois anos em São Paulo, no último ano tornou-se um evento itinerante e
foi a Belo Horizonte, onde o evento motivou a realização de outros eventos
menores e a participação de estudantes em projetos open source.

O evento deste ano, será dias 8 e 9 de setembro, em Florianópolis/SC, minha
terra. O evento vai ocorrer nas dependências do Colégio e Faculdades Barddal,
mas conta com apoio de pessoas de outras instituições, como a UFSC, berço de
muitos projetos e voluntários da comunidade FOSS no país. Foi na Universidade
Federal de Santa Catarina que tive o primeiro contato com o Linux, bem como a
comunidade. Foi lá que aconteceu o primeiro Install Fest e evento que
organizei, em 2002, junto ao SBC. Alias, todos os anos o evento foi hospedado
em universidades: FIAP, UNA e agora Barddal, cuja estrutura e laboratórios
estão inteiramente em Linux. Obviamente,  o melhor lugar para criar
profissionais e preencher a lacuna de desenvolvedores nacionais perante a
grande massa usuária.

Estão sendo programadas as tradicionais palestras, mini cursos e várias
outras novidades. As propostas podem ser submetidas em
http://www.linuxchix.org.br/?q=chamada , onde também existem mais
informações. A chamada vai até dia 10 de agosto, e a grade deve ter sua
primeira versão liberada dia 15.

India / Radio Paca

I saw the last news about the bombs at the trains in Mumbai. My firts though was “Terrorism in India? Why????”. I didn’t know about the fight for Caxemira. It made me really sad, and I just want to express my support for so friendly and beautifull people. For all I saw in India, and just two days ago talking with an irish guy which agreed with me, indian are the most friendly and sympathetic people ever. It really hurts when you think on someone making damage to those people.

And a mail I received for organizers of Radio Paca. Please pass it forward:

Esta noche 12 de Julio, el Centro de Cultura de Dones Francesca
Bonnemaison – asociación alojada en el Espai Francesca Bonnemaison –
ha expulsado por la fuerza a Radio Paca, una Radio feminista en
internet, ubicada en las instalaciones del Centro de Cultura de Dones
Francesca Bonnemaison .

Aproximadamente a las 19h30 de la tarde, el Centro de Cultura de Dones
Francesca Bonnemaison ha desconectado la conexión de la radio,
cortando la entrevista que se estaba emitiendo en directo sin aviso
alguno. El centro ha entrado en la web de Radio Paca y ha modificado
la página de inicio, dónde ahora dice que “estamos en construcción”.
Más tarde, mientras tratábamos de solucionar el problema de la web,
dos representantes de la Junta Directiva han venido al estudio a
“invitarnos a abandonar la radio”. Y a hacerlo en este mismo momento.
Nos han cortado el telefono para no permitirnos llamar al exterior y
también han tratado de impedirnos tomar fotografías y grabar en video,
para dejar constancia del acoso que estamos sufriendo.

Radio Paca nació el 8 de marzo de 2005 y desde entonces ha estado
retransmitiendo 24 horas al día cada día del año. Es un medio de
comunicación libre, abierto y participativo del cual todas las mujeres
participan en la asamblea de la Radio, lugar de toma de decisiones.

El desalojo físico y el cierre de la web ha sido la culminación de un
proceso de expulsion gradual. El jueves día 8 de junio la asamblea de
Radio Paca se reunía con la nueva junta directiva del Centro y en ella
se nos comunicó que la asamblea de la Radio se disolvía dejando de ser
el órgano de toma de decisiones. Se nos comunicó también que la Radio
pasaba a formar parte de una Comisión de Comunicación del Centro el
cual se otorgaba el derecho a decidir sobre los contenidos, la gestión
y sobre el trabajo de todas las colaboradoras de la Radio. Hasta el
punto de tener que “pedir permiso” por cada entrevista realizada.

Nuestra voluntad de mantener el proyecto autogestionado ha sido
interpretado por la Junta Directiva como una falta de “lealtad al
Centro” (equivalente a “sómetete”), argumentos bajo los cuales nos han
expulsado. Queremos manifestar las diferentes formas de discriminación
que se han ejercido desde el Centro de clase, de etnia, edad, origen y
la precarización de las relaciones laborales y de las relaciones
personales, del cuidado, de hacer política desde nuestras vidas
cotidianas. Se han olvidado que lo personal es político.

Seguimos emitiendo en: radiopaca.net , más libres que nunca!

Llamada a la acción! Estamos recopilando firmas de apoyo al proyecto.
Mándanos tu Nombre completo/Nombre de la asociación; DNI/NIF y tu
correo electrónico a radiopaca@radiopaca.net

Puedes manifestar tu disconformidad con la expulsion de Radio Paca del
Centre de Cultura de Dones Francesca Bonnemaison en:
ccd@bonnemaison-ccd.org

De cual de mis diferentes opresiones queréis sujetarme…
Audre lord // Quién dijo que era simple

Tiene tantas raíces el árbol de la rabia / que a veces las ramas se
quiebran / antes de dar frutos. / Sentadas en Nedicks / las mujeres se
reúnen antes de marchar / hablando de las problemáticas muchachas /
que contratan para quedar libres. / Un empleado casi blanco posterga /
a un hermano que espera para atenderlas primero / y las damas no
advierten ni rechazan / los placeres más sutiles de su esclavitud. /
Pero yo que estoy/ limitada por mi espejo / además de por mi cama /
veo causas en el color / además de en el sexo / y me siento aquí
preguntándome / cuál de mis yo sobrevivirá / a todas estas
liberaciones.

Tonight, july 12, Radio Paca has been brutally evacuated by the
association Centro de Cultura de Dones Francesca Bonnemaison, where it
has been working for one year and 5 months. The streaming has been
shut down and on the webpage it was announced that we were “parked”.

But we are not parked: we are now working on the reconstruction of the
webpage and on puttin g the streaming on air again. It will be working
through radiopaca.net once we do not have access to our server
anymore.

Radio Paca was born on the 8th of march of 2005 and ever since we have
been broadcasting 24 hours a day, every day. It is – still is – a
free, open and participative feminist medium in wich every women who
participate have the rights to decide about it.

Our will of keeping an automanaged project has been understood by the
Directive group of the Centro de Cultura de Dones Francesca
Bonnemaison as a miss of loyalty (equal to submiss yourself). As the
Assambly of Radio Paca we manifest that we have gone trhough different
forms of discrimination: class, ethnicity, age, origin and also the
“precarization” of working and personal relations. It has been
forgotten that personal is political.

We will keep broadcasting trhough radiopaca.net (more free than ever!)

If you feel like supporting our actions please send us an e-mail with
your complete name or the name of your association, identification and
your e-mail to
radiopaca@radiopaca.net

You can also manifest writing to Centre de Cultura de Dones Francesca
Bonnemaison: ccd@bonnemaison-ccd.org

Who said it was simple

There are so many roots to the tree of anger
that sometimes the branches shatter
before they bear.
Sitting in Nedicks
the women rally before they march
discussing the problematic girls
they hire to make them free.
An almost white counterman passes
a waiting brother to serve them first
and the ladies neither notice nor reject
the slighter pleasures of their slavery.
But I who am bound by my mirror
as well as my bed
see causes in color
as well as sex
and sit here wondering
which me will survive
all these liberations.
(audre lorde)

Snapshots

  • Como alguns amigos já notaram, com ajuda do Orkut, está chegando mais um Dia Internacional do Meu Aniversário. Então dei uma pequena atualizada na minha lista de desejos. Embora atualmente esteja recebendo tanta coisa boa que pedir mais pode até soar egoísmo. Mas eu me lembro de agradecer sempre.
  • Brinquedinhos tipo ultima geração as vezes podem dar dor de cabeça. Principalmente com a filosofia de que o software não precisa ser usável, basta ser livre. Ótimo consolo para quem escolhe nos mínimos detalhes uma webcam que obviamente não é qualquer webcam, e o único software livre que a reconhecia não faz mais nada além de core dump desde a última versão. Eu tenho verdadeira tara de escolher meus brinquedinhos nos mínimos detalhes. Assim foi com a câmera, que embora não fosse a última e estivesse saindo de linha, era a única com modo noturno(e, como diz o Caio, modo Predador). Ou o celular, que obviamente vem com teclado, embora tenha sido amaldiçoado. Não é por nada, mas já que vou gastar algum dinheiro, gosto de gastar com algo que não vou querer atualizar por muito tempo. Bom, mas esperança é a última que morre, vamos a mais uma compilação depois de várias atualizações gerais.
  • Slackpkg está muito chique. Interface com dialog, com opção de marcar ou desmarcar pacotes, opção de checar o diff antes de aplicar os novos arquivos de configuração… Grande Piter, só falta ter um blog também 😀

SAP mode on:

  • How some friends of mine already notice it, with some Orkut help, another My Birthday International Day is comming. So I updated a little bit my wish list. Although, nowadays I’m having so much, could be selfish to ask for more. But I do always remember to be thankful.
  • High-tech gadgets some times can be a headache. Especially with the philosophy that it is more important for software to be free than to be usable. That is so reinvigorating for someone who choose a webcam that is not any webcam, and the only free software who could deal with it, since its last version only does core dumps. I choose my toys very carefully. Like my camera, which although was not the newest one and about to be discontinued, it was the only one with the Night Shot and Night Framing modes. Or my cell phone, which obliviously has a keyboard, although that cell has been cursed. It is simple, if I will already spend some money, I want to do it right, buying something I will not regret or want something better for a long time. But in the webcam case, all I have is hope. And a couple more compiling.
  • Slackpkg is becoming fashionable. Now it has a dialog interface, with options to select or deselect packages, options to show diffs between the actual conf file and the new one… Way to go Piter, now you just need a blog 😀

Reorganizando a casa

Já que precisei atualizar meu currículo para adicionar mais cor, aproveitei a motivação para seguir os conselhos de quem dizia que eu devia organizar meus textos, palestras e afins. E surgem as páginas do blog…

Sabe quando você está com a sensação que esqueceu de alguma coisa? Eu estou com ela. Da última vez que eu cacei alguns dos meus artigos foi quando encontrei por acaso na net a tradução do artigo de segurança em programação PHP, que eu nem lembrava mais. Eu não entendo lhufas de PHP, mas a tentativa na época era tentar colocar um pouco de consciencia a respeito de segurança nos programadores da empresa que eu trabalhava. De que adiantava um firewall lindo, em FreeBSD, em bridge, se eles queriam abrir o MySQL pra internet? Devo dizer que duvido que alguém de lá tenha lido o texto, mas acho que o pessoal que frequentava a Linux Security deve ter gostado.

Agora, pérola mesmo foi encontrar a primeira palestra de todas que eu dei, sobre Segurança em Linux. A palestra foi para umas 30 pessoas em uma sala alugada pela Sucesu/SC para a reunião mensal em Camboriú, e lembro que esta não fiquei tão nervosa quanto nas duas palestras seguintes. Os slides tosquíssimos, letra preta em fundo branco e só. O mais assustador é que muita coisa lá, escrita em 2002, ainda parece ser novidade para a galera, e não me refiro a novatos. Alias, a matéria de segurança em PHP também continua atualizada, porque sempre vejo as recomendações e novas falhas repetirem os mesmos conselhos.Bom, e quem quiser me ajudar a catalogar, se lembrar de algum evento que eu não registrei, por favor me avise. A palestra “Mulheres e Software Livre” foi a que mais repeti, e nem eu lembro de todos os lugares… Os relatos de eventos, também não lembro de todos… alguém tem mais links aí?

Agora tenho que passar tudo para html para ficar mais fácil de navegar. Mas enfim, é ótimo parar para reorganizar seu trabalho e o quanto você produziu de material útil. E olha que tem várias outras coisas no forno…

Since I had to update my resumee to put more color on it, I took the advice from some friends to put my texts, lectures and stuff togheter. And here comes the blog’s pages…

You know that feeling that you’re missing something… I’m feeling this right now. Last time I searched for my articles was when I found the translation of a article about Secure PHP Programming, which I had completly forgotten. I don’t understand anything about PHP, but at that time I was trying to make the programmers of the company awareness about security. There was no point in me doing so much effort to put a nice firewall, running FreeBSD, transparent with bridge, if they wanted to open the MySQL database to the world. I must say I doubt anyone there did read this article, but people in Linux Security Brazil enjoyed.

But was really funny to find the very first talk I gave, about Linux Security. The talk was saw by 30 people, in a small room booked for the monthly meeting of the Sucesu/SC, in Camboriú, and I remember that I was not that nervous. The slides are very simple, just black letters in a white background. But the scariest thing is that a lot of thing there, which I wrote in 2002, still looks news for people, and I don’t mean newbies. The Secure PHP Programming also looks updated, since I usually see the same recomendations and new flaws explore the same concepts.

If anyone else want to help me, and remember a event or conference that I didn’t list, please mail me. The talk “Women and FOSS” was the talk I had presented several times, and I’m not sure I remember all the places. The reports from another conferences, I don’t remember all then either. Does anyone has a new link there?

Now I want to put all in html to make it easier to see. It is so great when you stop to organize your work and see there is a lot of great things. And keep one eye here, there is more for coming…

E aí Brasil? Dá pra ser ou tá difícil?

Será que agora, podemos finalmente começar o ano?

Sim, porque eu ainda estou esperando. O ano deveria começar pelo menos depois do Carnaval, já que antes é impossível. E aí começa a longa romaria de feriados, onde nada funciona. Tudo é adiado, postergado, deixado para depois. Será possível que ninguém se toca que sem produção, não tem comércio, não tem crescimento?

E depois esta Copa, que veio no momento exato para o governo. Veio abafar o clamor cada vez mais indignado pela cara de pau e impunidade. Pronto, tudo resolvido, é a Copa. Vamos esquecer a roubalheira, a eleição. Vamos esquecer que continuamos com o povo morrendo nos hospitais sucateados, vamos esquecer as escolas cada vez mais desmontadas. Vamos comemorar os analfabetos funcionais, agora incluídos no mundo digital.

Vamos encher a cara de cerveja quente e torcer pelo futebol medíocre e milionário. Vamos comemorar a mentalidade Big Brother, onde não precisa ser competente, honesto, ter personalidade, basta arrumar um jeito de chamar atenção da mídia. Depois dos quinze minutos de fama, vamos fazer qualquer coisa ridícula para chamar atenção.

Vamos ensinar ao povo que o que vale é fama. Vamos incentivar uma miríade de cantores desafinados, letras vazias, porque o sonho é ser artista. Vamos ver uma multidão de meninos pobres sonhando em ser jogador de futebol.

Afinal, protestar, exigir que gastem o meu dinheiro com o país e não roubando, exigir que punam os ladrões, isto dá muito trabalho, incomoda. Claro, isto porque é para protestar por mais qualidade de vida, instrução. Agora, experimenta dizer que não vai ter Carnaval. Tenta não transmitir a Copa. Ah, prepare-se para o quebra quebra.

É a institucionalização da mediocridade. E aí está o resultado. E agora, dá pra voltar a pensar na realidade? Dá pra começar a pensar na vida? Com seus xingamentos ou não, os jogadores ainda tem seus empregos garantidos, tem a vida de várias gerações garantidas. E vocês, vão continuar buscando somente o “Pão e Circo“?

So, can we please start this year?

Yeah, because I’m still waiting. The year should start at least after the Carnaval, since start it before is impossible. Then, comes the long road of holidays, where nothing works. Everything is postponed, delayed, let’s talk about this later. Do someone know that with no production, there is no commerce, no growth?

And then, here comes the WorldCup, in the right moment for the government. It comes to suffocate the indignant clamour, louder and louder, for the cynicism and impunity. Done, everything solved, it is the WordCup. Let’s forget about all the shocking robbery, the election. Let’s forget the fact that people continue to die in miserable hospitals, let’s forget the schools worst and worst. Let’s celebrate “functional illiterates” – people who can read but can’t understand what they read – now “digital included”.

Let’s drink a lot of warm beer and support a mediocre and millionaire soccer. Let’s celebrate the Big Brother era, where there is no need for competency, honesty, personality, you just need a way to catch attention of the media. After the 15 minutes of fame, let’s do anything, ridiculous or not, to get attention.

Let’s teach the people that fame is what worth. Let’s motivate a myriad of lousy singers, with nothing to say, just because the big dream is to be artist. Let’s see a thousand of poor boys dreaming of be a soccer player.

After all, to protest, to demand that they spend my money with the country and not steeling, to demand that they punish the thief, this is too much work, too much discomfort. Of course that applies to demand for better quality of life, of education. Because if they would try to stop the Carnival, or do not show the Cup, oh, this would make some serious trouble.

It is the mediocrity established. And there is the result. So, can we back to reality now? Can we start to thing serious in life? You cursing or not, the players still have their jobs, the life of some generations warranted. And what about you, still caring just about “Bread and Circuses“?

” Vamos comemorar como idiotas
A cada fevereiro e feriado
Todos os mortos nas estradas
Os mortos por falta de hospitais
Vamos celebrar nossa justiça
A ganância e a difamação
Vamos celebrar os preconceitos
O voto dos analfabetos
Comemorar a água podre
E todos os impostos
Queimadas, mentiras e sequestros
Nosso castelo de cartas marcadas
O trabalho escravo
Nosso pequeno universo
Toda a hipocrisia e toda a afetação
Todo roubo e toda a indiferença
Vamos celebrar epidemias:
É a festa da torcida campeã
Vamos celebrar a fome
Não ter a quem ouvir
Não se ter a quem amar
Vamos alimentar o que é maldade
Vamos machucar um coração
Vamos celebrar nossa bandeira
Nosso passado de absurdos gloriosos
Tudo que é gratuito e feio
Tudo o que é normal
Vamos cantar juntos o Hino Nacional
A lágrima é verdadeira
Vamos celebrar nossa saudade
E comemorar a nossa solidão
Vamos festejar a inveja
A intolerância e a incompreensão
Vamos festejar a violência
E esquecer da nossa gente
Que trabalhou honestamente a vida inteira
E agora não tem mais direito a nada
Vamos celebrar a aberração
De toda a nossa falta de bom senso
Nosso descaso por educação
Vamos celebrar o horror
De tudo isso
Com festa, velório e caixão
Está tudo morto e enterrado agora
Já que também podemos celebrar
A estupidez de quem cantou esta canção”

This is a song written by Renato Russo, the last great brazilian poet. This was wrote in 1994. As you see, nothing changed since.

Weekend Warrior

The rebel of yesterday, tomorrow’s fool
Who are you kidding being that cool?

Trying to break away from running
with the pack
But they ain’t listening so you’ve
gotta go back

You’re a weekend warrior when
you’re one of the crowd
But it’s over, just look at you now…

You’re not so brave the way you behave
It makes you sick, gotta get out quick
It’s all bravado when you’re out
with your mates
It’s like a different person goes through
those gates
And the game begins
the adrenalin’s high
Feel the tension maybe someone
will die…

A weekend warrior lately
A weekend warrior sometimes
A weekend warrior maybe you ain’t
that way anymore

You’ve gotta get out gotta get away
But you’re in with a clique it’s not
easy to stray
You’ve gotta admit you’re just
living a lie
It didn’t take long to work out why

It’s hard to say why you got involved
Just wanting to be part
just wanting to belong…

A weekend warrior lately
A weekend warrior sometimes
A weekend warrior maybe you ain’t
that way anymore

Some of the things that you’ve done
you feel so ashamed
After all it’s only a game… isn’t it?
And after all the adrenalin’s gone
What you gonna do on Monday?

A weekend warrior lately
A weekend warrior sometimes
A weekend warrior maybe you were

“oh, yeah, sure, I’ve always been a nerd, it is so cool…”

(Tradução para não reclamarem que não entendem ingles :D)