Para Além do Bem e do Mal

“O que nos incita a olhar todos os filósofos de uma só vez, com desconfiança e troça, não é porque percebemos quão inocentes são, nem com que facilidade se enganam repetidamente. Em outras palavras, não é frívolo nem infantil indicar a falta de sinceridade com que elevam um coro unânime de virtuosos e lastimosos protestos quando se toca, ainda que superficialmente, o problema de sua sinceridade.

Reagem com uma atitude de conquista de suas opiniões através do exercício espontâneo de uma dialética pura, fria e impassível, quando a realidade demonstra que a maioria das vezes apenas se trata de uma afirmação arbitrária, de um capricho, de uma intuição ou de um desejo intimo e abstrato que defendem com razões rebuscadas durante muito tempo e, de certo modo, bastante empíricas. Ainda que o neguem, são advogados e freqüentemente astutos defensores de seus preconceitos, que eles chamam “verdades”. E ainda que não o creiam, estão muito longe de possuir o heroísmo próprio da consciência que se confessa a si mesma sua mentira, isto é, muito longe do valor que se deseja ouvir, seja para advertir um amigo ou para colocar em guarda o inimigo ou para burlar a si mesmo. A hipocrisia rígida e virtuosa com que o velho Kant nos leva por todas as veredas de sua dialética para nos induzir a aceitar seu imperativo categórico, é um espetáculo que nos faz sentir o imenso prazer de descobrir as pequenas e maliciosas sutilezas dos velhos moralistas e dos pregadores.

Somemos a tudo isso o malabarismo, pretensamente matemático, com que Spinoza termina por escudar e mascarar sua filosofia, tratando de intimidar assim, desde o princípio, a audácia do assaltante que se atreve a pôr os olhos numa virgem invencível: Palas Atenéia. Como se pode ver através de tão pequeno broquei e inútil máscara, a timidez e a vulnerabilidade de um ente doente e solitário.”

3 thoughts on “Para Além do Bem e do Mal

  1. Interessante “ler” você publicando coisas de Nietzsche, lembro inclusive de ter sido banido de um canal onde você impera(va?) por eu ter postado uma das frases de “Assim Falou Zarathustra”. Seria esse um sinal de mudança ou apenas mais uma amostra da inconscistência da sua personalidade?

  2. Significa apenas que eu tenho noção de onde assuntos devem ser tratados. Se eu quiser, aqui eu publico desde receita de bolo de chocolate a bula de remédio. Como uma pessoa de bom senso, eu sei que um canal de Slackware não é o melhor lugar para fazer isto. Claro que este conceito não existe para pessoas sem noção.

  3. Alias, e daí se houverem inconsistências na minha personalidade?

    Um dos melhores elogios que eu ganhei foi que “tu eres una mescla muy particular de muchas cosas distintas”.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s