Ô lá em casa

Nhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahahahahhahahahahahah

“Claro que você, caminhando lindamente pelas ruas, já deve ter ouvido um: “Ôôô, lá em casa…”. Não é fácil aceitar como elogio, já que a cantada é tão democrática. Se é assim, estreamos esta coluninha para homenagear os moçoilos que cruzam nosso caminho…. Encontrou um bonitão no farol querendo te vender flores ou chocolates? O cara que foi consertar sua pia podia estar na passarela do SPFW? Apresente seu “Ô, lá em casa” para nós.” Revista TPM, fevereiro 2007.

E este mês, o “Ô lá em casa” foi contribuição minha 😀 Na volta de Ilha Grande, no carnaval, como a pousada ficava um pouco longe do cais, chamamos um carregador para ajudar. Um rapaz super simpático e falastrão, até que ele mencionou que já morou em São Paulo também, quando era modelo… foi então que eu prestei a devida atenção. Eu estava muito bem acompanhada, o que atrapalha ainda mais meu radar já defeituoso. Mas me lembrei da coluna, e lá fui eu tirar uma foto. O sucesso foi tanto que eu ganhei uma assinatura de um ano! \\o/ Justo este mes demorou pacas, mas pude conferir minha contribuição 😀 página 102, pode olhar os créditos da foto. Devo dizer que tá muito melhor que o ensaio do mês…

A TPM é uma revista estranha, de fases. Tem meses de arrasar, como o calendário com as melhores fotos dos ensaios do ano, da reportagem “Sem maneiras de mudar seu corpo em duas semanas”. Tem também umas fases meio gay, com excesso de fotos de mulher e matérias sobre isto. Ultimamente, deve ter alguma grávida na redação, com tantas matérias sobre isto, embora tenha uma coluna impagável de idéias para como criar um filho gay – tipo dar uma boneca Drag Ken. Mas só a minha contribuição lá já valeu o mês 😀 Para quem quiser conferir, tá na internet também neste link. Até usaram um pedacinho da minha descrição do moçoilo. Nheeeeeeeeeeeeeeee 😀

5 thoughts on “Ô lá em casa

  1. A vida fica bem mais interessante, quando nos damos conta de que, a qualquer momento, (na rua, na chuva ou na fazenda) nós, mulheres extraordinariamente normais, temos a possibilidade de encontrar um legítimo espécie do “Ô lá em casa”, sem roupas de marca ou sem produção hollywoodiana.

    Na minha opinião, esses são os mais bonitos e interessantes, pois os são sem ter o poder da grana, da mídia e de seus artifícios.

    É muito fácil ser um Leonardo DiCaprio, honroso mesmo é ser o Hans Bustos.

    Ps: Agora, cá entre nós, minha amiga Diva… essa foto estupenda é por conta da sua máquina nova, do Gimp ou o Hans é “isso” mesmo??? Ele me aparenta ser bem alto e com um peitoral enorme… Just the way he needs to be… hahha… Ai, meus estrogênios!!!

  2. Eu não gosto de fazer/usar cantadas em garotas na rua, pois uma que acho muito mal gosto, mesmo sendo uma rainha, e segundo que sou comprometido. Porem não deixo de admirar uma gatinha quando vejo uma.

    Parabens pelo premio.
    Beijos

  3. Fê, é isto aí mesmo, ao natural e trabalhando. Minha camera tem uma boa definição, e não tem gimp nenhum. Se quiser te mando o original em alta definição 😀

  4. Kkkkk.
    Cada vez que escuto falar sobre revistas femininas, mais me surpreendo!

    Quando eu tiver uma filha, ela só vai ler gibi da Marvel! Muito mais saudável!

    🙂

    Brincadeiras a parte, é divertido ler esses seus artigos.

    bjos.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s