MID e Pycon Brasil 2007

Estou já em Joinville, onde a partir de amanhã, pythonistas e simpatizantes estarão reunidos na SOCIESC para a 3a. Pycon Brasil. A conferência vai até sábado, 1o. de setembro.

Consegui chegar depois de uma história que ainda vou investigar, pois a Gol nos retirou do avião que estava vazio alegando que o aeroporto de Joinville estava fechado, e nos colocou em um vôo para Curitiba, de onde seguimos para o destino final de ônibus, sem ar condicionado no frio de 11 graus que está fazendo no Sul. Algumas pessoas entraram em contato com a Anac que disse que o aeroporto não fechou hoje, o taxista do aeroporto disse que fechou… vamos ver.

Bom, amanhã é minha palestra sobre o Mobile Internet Device – MID – e o Moblin, a plataforma de desenvolvimento para dispositivos portáteis da Intel. O primeiro hardware que recebi foi descartado por muitos problemas no hardware, então estamos utilizando o Samsung Q1 como base de desenvolvimento até as novas propostas ficarem prontas. O objetivo final é um dispositivo que caiba no bolso – provavelmente não no bolso da camisa, mas no bolso de uma calça cargo 🙂 esta é a carinha do projeto:

moblin

Quem quiser conferir o dispositivo, o projeto e ver demonstrações de como utilizar o Moblin, portar seu projeto ou escrever aplicações, a palestra será amanhã as 17:30. Se estiver na cidade, não deixe de conferir o evento.

Descrição da palestra:

Linux no Mobile Internet Device da Intel
Nível da Palestra: Iniciante/Básico

O MID é uma nova categoria de plataforma voltado a desenvolver soluções que proporcionem o uso real da internet sem comprometer seu desempenho, em dispositivos móveis e portateis. Nesta área, Linux desempenha um papel essencial. Nesta sessão serão apresentados uma visão geral da configuração, instalação e execução do Linux no MID, através do Moblin. Também serão apresentados as ultimas atividades da comunidade em torno deste projeto e como você pode se envolver nela.

Momento Zen

É quando você se vê em plena Av Bandeirantes as 18:30 e começa a cantar:

“O que é que eu sou?
Eu vim porque?
Pra onde eu vou?
Onde é que eu tava?
Onde é aqui?
Quem me mandou?
Qual é o nome
Da minha alma…”

What Color Is Your Brain?

How do you know it??????????


Your Brain is Red


Of all the brain types, yours is the most impulsive.
If you think it, you do it. And you can get the bug to pursue almost any passion.
Your thoughts are big and bold. Your mind has no inhibitions.
You tend to spend a lot of time thinking about love, your dreams, and distant places.

Dear Ubuntu Marketing Team

I saw some recent happenings regarding the Mkt team been unable to reach the female audience, despite the possible efforts to do so. I would like to make a few suggestions to maybe turn your task more successful.

When you do some sort of action aimed to support the female audience, please don’t. Try to make your advertising gender neutral. For example, the fact that you have a t-shirt size for women is very cool, I don’t like neither use men size t-shirts. But you could just shrink the t-shirt instead changing the slogan. If you think about it, your male audience probably will feel affected by the fact that they are using “Linux for Ladies”. And as surprising as that can be, women would like to be treated just normal. We would love to be also the “human beings” that supposable, Ubuntu is for.

Maybe it is hard for you care about “such a tiny insignificant issue“, as the “even some wives” episode on the Ubuntu Weekly News were defined. But you know, there is 51 to 52% of the Earth population that you not been very successful to reach – women. If you claim the Ubuntu project is doing right a lot of things that other projects may doing wrong, you could try to make this one right too. The percentage of women in FOSS community is ridiculous 2% – how about making this number bigger? The brave women on the community that stick using FOSS despite all those episodes may have a huge piece in teaching you how to reach that audience. You should listen to them more often.

Update: they promised to create other with the same logo. I wish they also burn all the “for Ladies” ones, or at least no one buy it 😀

Prezado time de Ubuntu Marketing

Tenho observado alguns episódios relacionados ao time de Marketing, nos quais o time não tem sido muito bem sucedido em atingir o público feminino, apesar dos aparentes esforços. Eu gostaria de fazer algumas sugestões para quem sabe tornar sua tarefa mais produtiva.

Quando vocês pensarem em fazer algum tipo de ação direcionada ao público feminino, por favor não o façam. Tentem fazer sua publicidade sem apelo de gênero. Por exemplo, o fato de que vocês fizeram camisetas babylook é sensacional, eu não gosto nem uso camisetas de tamanhos masculinos. Mas se vocês pudessem apenas encolher a camiseta sem mudar o slogan, seria melhor ainda. Se vocês pensarem bem, provavelmente seu público masculino pode não se sentir a vontade de saber que está usando um “Linux para Damas“. E embora possa parecer chocante, mulheres em geral gostariam de ser tratadas normalmente. Nós adorariamos também ser os “seres humanos” que supostamente, o Ubuntu é para.

Talvez seja difícil para vocês se importarem com um detalhe tão insignificante, como o episódio de “e até algumas esposas” na newsletter semanal foi definido. Mas sabe, existe 51 a 52% da população mundial que vocês não estão conseguindo alcançar – as mulheres. Se vocês gostam de definir o Ubuntu como um projeto que está fazendo certo o que talvez outras distros não estejam, vocês poderiam tentar fazer isto certo também. A porcentagem de mulheres envolvidas em projetos FOSS é de ridiculos 2% – que tal tentar melhorar isto? As corajosas mulheres na comunidade que permanecem nela apesar de todos estes episódios talvez tenham um grande papel em auxiliar-los sobre como alcançar esta audiência. Vocês deveriam ouvi-las mais vezes.

Linuxchix New Generation

A vida é assim, não adianta você ficar esperando ela te dar tempo para você por em dia tudo, ela vai caminhando. Ou você corre ou se embola 🙂

O ano de 2005 foi o ano mais marcante pra mim na minha história com o Linuxchix Brasil. Fizemos o nosso primeiro evento itinerante, em Belo Horizonte, que nos encheu de alegria e orgulho. Logo depois, no FISL 6.0, nosso stand foi ponto de referência para todos os visitantes. E no último dia do evento, eu tive um momento de iluminação e soube que dali pra frente eu precisava trabalhar minha substituição no grupo. Estes dois marcos no grupo foram possíveis devido a idéias e ações das integrantes, e eu vi que eu tinha praticamente esgotado as idéias que poderia fazer para transformar o grupo e fazê-lo crescer.

Um dos grandes problemas de muitos projetos, sejam eles profissionais, comunitários ou até pessoais, como relacionamentos, é reconhecer o momento de sair da zona de conforto para continuar crescendo. O Linuxchix Brasil precisa de sangue novo, de idéias novas, de novos direcionamentos. Eu sou muito orgulhosa da transformação que proporcionei ao grupo, mas a minha marca, a minha cara é muito presente nele, e eu não tenho muitas novas idéias.

Um dos grandes objetivos para a grande chamada para novas voluntárias foi fortalecer ou encontrar pessoas que pudessem e quisessem assumir a coordenação do grupo. Praticamente todas sabem que além dos problemas comuns a qualquer projeto FOSS – como encontrar ajuda, como manter os voluntários, como lidar com conflitos – ainda temos os trolls diretamente interessados em desfazer um grupo de incentivo a mulher. E mais algumas antipatias pessoais, direcionadas exclusivamente a minha pessoa, mas que acabavam por prejudicar o grupo todo, quando para barrarem alguma oportunidade para mim, barravam todo o grupo. Mas mesmo assim, crescemos e multiplicamo-nos!

Porém, quando eu achei que estava chegando a hora de buscar novos rumos, eis que eles surgem sem esperar. Quando da resignação de Jenn Vesperman, fui uma das indicadas para a coordenação do Linuxchix Internacional, embora a popularidade de Mary fosse maciça. Achei que ela faria um trabalho muito melhor que o meu, então declinei e apoiei sua candidatura. Porém depois de tudo que aconteceu, talvez eu pudesse ter feito um trabalho bom. Então quando me indicaram novamente, aceitei concorrer a eleição. Decidimos ao invés de ter uma única e suprema coordenadora, ter um trio – doravente denominado Trés Chix – e escolhido por votação aberta. Que terminou ontem, então juntamente com Akkana Peck e Carla Schroder, fui eleita uma das coordenadoras do Projeto Linuxchix Internacional.

E tudo isto vem combinado com o fato de que duas valorosas voluntárias tem cada vez mais se envolvido no Linuxchix Brasil, então me senti confortável em aceitar a nova designação. Temos diversas importantes participantes, porém as duas corajosas aceitaram assumir a responsabilidade e dedicação que envolve ser responsável pelo projeto. Então, a partir de hoje, enquanto eu assumo como uma das Trés Chix, Priscilla Pimenta e Ana Carolina Comandulli assumem como coordenadoras do Linuxchix Brasil.

Entre as primeiras mudanças, provavelmente a mais marcante será a impressão da marca Debian no servidor 🙂 eu dou a maior força, tudo para que o trabalho delas seja mais produtivo. Mas claro que não é só isto. Eu continuo no backstage, pois provavelmente ainda tem senhas e coisas que eu ainda não lembrei de falar. Mas agora, é com vocês meninas. Eu tenho plena confiança que elas vão dar conta do recado, e que juntas serão ainda mais fortes.

Mais uma página virada, mais uma página em branco. Eu passo agora a caneta a vocês. A história, daqui pra frente, vocês escrevem. “Sucesso! Porque sorte é pra principiante” – by Priscilla 🙂

en_EN

This is your life, good to the last drop* 🙂 it doesn’t get you a break to finally put everything up to date. Run, Forrest, or you will be late!

2005 was the most memorable year in my history with Linuxchix Brasil. We did our first roaming conference, in Belo Horizonte, which we enjoyed like crazy and made us all very proud of it. A month later, at FISL 6.0, our booth was a hit, everybody wanted to take a picture inside it. And in the last day of FISL, I had an epiphany and I realize I needed to start working someone to replace me heading of the group. The two major moments for the group were possible because we joined ideas, suggestion and action from several volunteers, and I saw I had run out of new ideas of what could I do to make the group grow.

One of the major problems for a lot of projects, professional, volunteer or personal projects, is to recognize when had come the time you need to step out the comfort zone and keep growing. At that point, I knew the Linuxchix Brazil needed fresh blood 🙂 new ideas, new ways to do things. I’m very proud of my work in the group, but my fingerprint is too present, and I don’t have new ideas anymore.

One of the objectives behind my call for volunteers on the beginning of this year was to get more volunteer or encourage people already engaged to learn more and maybe assume the group at some point. I believe all of them knew the problems involved. All of the usual problems of any FOSS project – finding help, keep volunteers motivated, deal with conflicts – we had a plus with the trolls directly intending to disturb a female group. And plus some personal conflicts people had against me, but use that as an excuse to attack or act against the whole group. But even so, we were fruitful and multiple!

But, when I thought was the time to search for new objectives, they came after me. When Jenn Vesperman resignated from the Linuxchix coordinator role, I was one of the nominated, although Mary was undoubtly the favorite. I thought would be better for the group to have her, so I declined. But since everything that happened, I maybe would be useful for the group. So when I was nominated again, I accepted and ran for the election. We all decided this time to have a three insted of just one coordinator – now called Trés Chix – and elected by voting from anyone involved on the group. Which had finished yesterday, so together with Akkana Peck and Carla Schroder, I’m one of the coordinators of Linuxchix project.

And all this come together with the fact that two valuable volunteers have more and more getting involved in Linuxchix Brazil, so I’m comfortable with accepting the new designation. We have several important chix involved, but those two are brave enough to acept the responsability and dedication that is to be THE responsable for the project. So, from now, as I’m one of the Trés Chix, Priscilla Pimenta and Ana Carolina Comandulli are the coordinators for Linuxchix Brazil.

In the first changes, they have in mind changing the server to a Debian one 🙂 I totally support it, whatever makes them comfortable and productive. But it is not just that, of course. I will be always on the backstage, probably there is any password or things I don’t remember right now. But now it is with you, sistahs. I strongly believe you will do a great job.

Another page turned, a blank page start. Now you have the pen. The history, by now on, you will right. “Success! ‘Cause luck is for newbies” – by Priscilla 🙂

*reference by the music theme of Fight Club, by Brad Pitt

Cidadã do mundo

Você sabe que sua vida definitivamente mudou quando em um domingo você sai para passear e comprar livros em Portland, USA, e no próximo domingo está fazendo as unhas em Córdoba, Argentina. Eu sempre adorei o termo “cidadão do mundo”, acho que era uma propaganda de curso de inglês quando eu era aborrescente. E eu me toquei que isto se tornou realidade quando eu comecei a mandar lavar roupa em hoteis, por mais bobo que pareça. Quando isto começa a virar rotina, é porque realmente você não tem mais tempo para fazê-lo em casa, entre uma viagem e outra. Mas como eu adoro este novo estilo de vida, eu tomo bastante cuidado para garantir que eu vou conseguir fazer isto por bastante tempo.

Eu conheço várias pessoas com a mesma rotina – ou falta dela – de quem eu aprendi vários truques. Danese Cooper é provavelmente o melhor exemplo. Eu aposto que ela tem cartão platinum em todas as companias aéreas, e tem uma noção de fazer as malas muito extravagante – eu acredito que ela está sempre tentando novas técnicas de empacotar a casa inteira. Eu detesto ficar carregando malas, mesmo em carrinhos, entao eu tento manter o mínimo, pelo menos no vôo de ida. Mas ela me mostrou como me sentir bem nos ambientes impessoais de hoteis (a não ser que você fique no Hotel Monaco: tinha um ursinho de pelúcia sobre a cama, um roupão com estampa de oncinha e várias outras frescurinhas). É bem simples, compre algum incenso, velas perfumadas, leve coisas que lhe deixam confortável em casa, beba muita água. Outras regras eu criei por mim mesma, como sempre correr na esteira, no mínimo quatro vezes por semana – esta regra tem evitado algumas pequenas guerras mundiais. Eu preferiria espancar algumas pessoas ao inves disto, mas convenhamos que a academia vai me causar muito menos problemas 🙂 Eu comecei a fazer kung fu no início do ano e simplesmente amei, mas desde que comecei o trabalho novo não consegui voltar. Quando estou em casa, vou sempre fazer aulas de spinning na academia, e é impressionante como fico mais calma depois. Mas quero voltar ao kung fu, apenas preciso me organizar e conseguir lidar com minha nova vida.

Update: existe uma matéria na Super Interessante deste mês, indicada pelo leitor do blog – vcs existem! – Alexandro Silva, com o nome Você 3.0, e nem tem a ver com idade. Segundo ele mesmo, poderia ter sido escrita por mim. Agradeço a confiança, mas o estilo literário do autor é bem mais agradável. Para quem, como eu, tem chefe em outra lingua e fuso horário, companheiros dos mais diversos lugares e se comunica primariamente por internet, ou por quem gostaria de ter um trabalho assim, vale a pena ler.

Eu recebi um scrap no orkut de uma amiga, me perguntando quando eu ia arrumar um tempo para ser a Sula e a amiga dos amigos. Um dos problemas deste estilo de vida é que como você gasta muita energia viajando e se ambientando, você se torna mais sensível, e é mais demorado para se recuperar de incidentes ruins. Passei meu aniversário com a família, e é sempre uma experiência difícil. E eu nem tive energia para agradecer todas as mensagens de feliz aniversário que recebi 😦 desculpem. Exatamente no dia depois foi o acidente da TAM, e eu estava bastante impressionada com isto.

Mas estou bem, e estou muito feliz. Os primeiros meses do trabalho foram dedicados a aprender, a entrar em contato com pessoas, encontrar assuntos, planejar, mostrar, explicar. Aprender os procedimentos, executá-los e esperar eles terminarem. E finalmente, é hora de alguma ação real. Aguardem.

Esta semana estou em Córdoba para algumas reuniões na Intel e para participar das 7as Jornadas de Software Livre. Vários amigos estão vindo, e eu tenho até uma cachaça especial – com um pinguim e tudo. Finalmente eu sinto que estou fazendo a parte “America Latina” do trabalho 🙂 eu fui fazer um city tour hoje, e já publiquei algumas fotos.

Também, para me ajudar a balancear meu chapéu Intel e meu chapéu comunidade, mas não apenas por isto, fui convidada a ser um dos blogueiros do novo blog da Intel Brasil – Brasil Digital@Intel, lançado dia 5 de agosto. Você já pode conferir os primeiros posts, inclusive o meu. Eu vou postar lá notícias sobre Open Source na Intel, enquanto aqui eu vou continuar resmungando, postando idéias randômicas e músicas nada aleatórias. Eu tenho muita coisa para contar aqui e lá, embora eu sempre faça o que qualquer matéria sobre blogs diz para não fazer: ficar muito tempo sem postar, depois postar tudo de uma vez e sumir no limbo novamente. Eu acreditaria que ninguém lê isto se não fossem os relatórios do Analytics. Eu vou melhorar isto, e em alguns dias vou fazer um relato sobre a OSCON e a sessão sobre Mulheres e FOSS – muitos feedbacks. Eu estou até tentando criar mais posts em inglês 🙂

Mas ainda assim, com tanta coisa e tanta novidade, nada é mais emocionante do que o fato de que um pedaço muito alto da Espanha está indo para o Brasil semana que vem… 🙂

Citizen of the World

You know your life has definitely changed when in a Sunday you go for a walk and buying books in Portland, USA, and on the next Sunday you’re getting your nails done in Córdoba, Argentina. I always loved the term “citizen of the world”, I think it was one English school which had this advertising when I was a teenage. And it became true, I’m not just traveling anymore, sounds silly but since I started to do laundry on hotels, I really feel this actually became a lifestyle. And since I just love it, I always dedicate sometime to take care of myself and guarantee I will be able to do that for a long time.

There is some people with the same routine – or lack of it – from who I learn a lot of tips. Danese Cooper is probably the best one. She probably has platinum cards in any airline, and has a very eccentric sense of packing – I bet she keeps trying new ways to pack the entire house. I just hate to carry my bags, so I always try to keep that minimum, at least on the fly in. But she showed to me how to feel good in the impersonal hotel environments (unless you’re at Hotel Monaco: I had an teddy bear on my bed, a robe with leopard print and lots of amenities). It is very simple, buy some incense, candle, drink a lot of water – in fact, always carry a bottle with you. Other rules I created, like to always go for a run on the gym, at least four times on the week – this rule had prevent a couple of little world wars initiated by me. I rather to kick people’s ass, but the gym causes me much less problems after 🙂 I started to do kung fu on the beginning of the year, but since I started the new job I didn’t come back. When I’m at home, I go for spinning on the gym, and it is so relaxing… but I do want to go back to kung fu, I’m just working on know how to deal with my life again.

I received an scrap on orkut from a friend, asking me to find sometime to be myself and to be friend. The problem is that lifestyle also makes you kind of sensible, and it is hard to have time to recover from some not so good experiences. At my birthday, I was at my mom’s house, and that is always disturbing for me. So I even had energy to say thanks to my friends who remembered the date… sorry people. Just on the next day was the airplain crash, and I was very aware of it, I was in that airport the day before, I go there all the time, and it is not so far from my house. So, you can figure it out.

But I’m happy. The first months of my work were dedicated to learn, talk to people, find subjects, plan, show, explain. Learn the procedures, execute the procedures and wait to them finish. And finally had come the time for some real action. You’ll see.

This week I’m at Cordoba for a couple of meetings at Intel and to participate of the 7th Free Software Working Days Argentina. There is a bunch of friends coming, and I have a special made cachaça – with a penguin and everything. I finally feel like I’m doing the “Latin America” part of the job 🙂 I went to a city tour today, see some pictures here.

Also, to help me to balance the Intel and the community hat, but not just because that, I was invited to be one of the bloggers for the Brazil Digital @ Intel blog. See here the first posts, including my one. I will post there news about Open Source at Intel, while here I will keep rambling, creating random ideas and posting non random musics. I have lots of things to report here and there, and I always do what people always say to do not do in your blog: do not post for a long time, then post a lot of things and disappear again. I will try not doing that, and in some days I will post a report about OSCON and the Women and FOSS BoF – lots of feedback. I’m even trying to create more English entries!

But you know… even with all this, nothing is more exciting than the fact that a tall piece of Spain is going to Brazil next week… 🙂