New respect for Portland

catlaugh.jpg

That’s how I felt yesterday. I found a nice place downtown Portland, and that was so reliving. First day in Hillsboro, it was a little bit cool, driving with all that fog, the threes. On the second day, yeah, whatever. In the next days, I didn’t want to get up off the bed. So, I needed to do something about it, and I went apartment hunting and found a very cool, well localized place. I have now a beautiful view to city: cars, buildings, lots of lights… people. Ow, didn’t see that coming, me, missing to see people around? At least I don’t feel like I’m in a ghost city anymore 🙂

This morning I went walk, see the sales on Macy’s, Nordstrom, even Saks 5th AV. Hm, no thanks, I don’t care that much about brands, maybe when I earn my money in euros. But the whole civilization dependency scared me a little bit. I mean, I felt so unhappy in a small city. What if I need to be in a place like this for sometime someday? Maybe is not a dependency, maybe it was because I knew there was much better options very far. Or am I addicted to it?

Living in São Paulo was a wish I had for several years. Once there, I fit just like I had been there my entire life. And I’m not the kind of party-every-night person, I just love the fact that I can if I want to. I can just walk 5min to find almost anything. So I think I’m spoiled by that. But if someday I have to live in conditions I’m not used to? If I all the suddenly find myself in some lost city, where I can’t find passion fruit or chocolat soaps… or shampoo for red hair… or nice fluffy pillows, or fruits, or movies… the internet in the Hillsboro hotel was terrible too. Well, I think I wouldn’t make a good survivor. Although, I believe I would survive without internet very well, as long as it was in Tahiti 😀

pt_BR

A foto lá em cima ilustra bem como eu me senti ontem. Eu encontrei um ótimo lugar pertinho do centro de Portland, e foi um alívio sem tamanho. No meu primeiro dia de trabalho em Hillsboro, até que foi legal, dirigir no meio da neblina, as árvores, os caipiras pela estrada. No segundo dia, yeah, whatever… Nos dias seguintes, eu não queria sair da cama. Então eu sabia que tinha que fazer algo a respeito, e fui procurar aptos e encontrei este, muito legal, bem localizado. Amplo e iluminado como meu apto, então me sinto muito melhor. Agora tenho uma vista para a cidade: carros, prédios, milhares de luzinhas… e pessoas. Uau, não havia imaginado isto, eu sentindo falta de ver pessoas? Bom, pelo menos não me sinto mais como se estivesse numa cidade fantasma.

Hoje fui dar uma volta no centro da cidade, há poucas quadras daqui, visitar as lojas famosas, Macy’s, Nordstrom, até a Saks 5th Av. Lá vendem desde Channel até marcas mais desconhecidas, mas mesmo as liquidações não me interessaram muito. Sem falar nas calças: coisas mais horrorosas! Lembra aquelas calças baggy dos anos 80??? Pois são todas assim!!! Bom, eu não ligo pra marca, quem sabe o dia que eu ganhar em euros. Mas toda esta depêndencia de civilização me assustou um pouco. Quer dizer, eu fiquei deprimida naquela cidadezinha. E se um dia eu precisar ficar um tempo num lugar assim algum dia? Talvez não seja dependencia, talvez seja porque eu sabia que haviam opções muito melhores perto. Mas será que estou viciada ou algo assim?

Viver em São Paulo foi um desejo acalentado por vários anos. Uma vez lá, eu me adaptei como se tivesse nascido lá. E eu nem sou do tipo baladeira, eu apenas gosto de saber que eu poderia ir pra festa todo dia se eu quisesse. Eu posso encontrar quase tudo por perto, a 5min de caminhada. Tô achando que estou meio mimada com isto. Mas e se algum dia eu tiver que aguentar algum tempo em situações que eu não estou acostumada? E se de repente eu me vejo em algum iglú por aí, sem conseguir encontrar maracujá ou sabonete de chocolate… ou shampoo pra cabelos vermelhos… ou ter travesseiros fofinhos, ou frutas, ou cinemas… a internet em Hillsboro também era terrivel. Bom, acho que eu não me sairia bem como sobrevivente de desastres. Mas eu acredito que sobreviveria bem sem internet, desde que fosse em alguma ilha no Taiti 😀

3 thoughts on “New respect for Portland

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s