New hair

To start a new year, there is few things that make a woman happier than a new beautiful hair style. After several years fading from brighter red to dark red, I wanted to change a little bit more. But when you have a hair this red, there is not much left to do. I could go green, blue or pink, but that’s not me. So, what could I do with my beloved red tone 666 – very appropriated, don’t you think – to be a little different?

So, 4 hours and a lot of less money later, the results:

newhairp.jpg newhair2.jpg newhair1p.jpg


I’m really happy with it. And I’m not buying any haircolor products in USA anymore. The same brand almost ruined my hair a month ago. Same brand, but an horrible product.

Mulheres tom pastel

Me custou tanto trabalho para reencontrar este texto que eu amei e odiei ano passado – pelo jeito eu tenho traços de mulher tom pastel, incrível – que sou obrigada a postar. Pelo menos meu cabelo vermelho 666 – atualmente bicolor com preto – me dá aval. Com vocês, as mulheres em tom pastel, também chamadas de mulherzinhas ou mulherzinha bege.

“Mulheres em tom pastel são discretas. Às vezes até bonitas, mas aquela beleza discreta. Geralmente elas se vestem de maneira discreta também, mas algumas são ousadas e usam roupas da moda, às vezes até meio espalhafatosas, mas conseguem, ainda assim, manter a discrição.

Mulheres em tom pastel têm cabelinho liso, natural ou não, o importante é que seja discreto e bonito. Às vezes é até vermelho, mas aquela coisa castanha-quase-natural-com-reflexos-vermelhos-que-só-dá-pra-ver-no-sol. Mulheres em tom pastel vivem dizendo que morrem de vontade de pintar o cabelo de vermelhão um dia, mas ainda não tiveram coragem. Mulheres em tom pastel morrem de vontade de fazer um monte de coisas que ainda não tiveram coragem.

Algumas são tão ousadas, mas tão ousadas, que têm coragem de fazer até tatuagem. Daí fazem três estrelinhas atrás da orelha, letrinha japonesa atrás do pescoço, beijaflorzinho na canela. Essas tatuagens de mulheres em tom pastel.

Elas são românticas. Adoram poesias que arrumaram em algum site qualquer na internet. O autor não é importante, o importante é a beleza da mensagem. E a mensagem pode ser qualquer coisa que fale de amor e da paz mundial. Elas têm atitude, por isso repetem frases inéditas como “Mulheres boazinhas vão para o céu. As más vão pra qualquer lugar”.

Mulheres em tom pastel são bem fáceis de se agradar, porque elas são sorridentes e acham graça de qualquer coisa. Se você perguntar sobre o gosto musical de uma mulher em tom pastel, com certeza ela vai te responder algo como: “Ah, sou eclética, eu gosto de tudo”. Elas dizem que não tem preconceitos, curtem todos os estilos. Mulheres em tom pastel são tão ecléticas que gostam até de rock paulera que aquele pessoal de preto escuta, vejam só!

Mulheres em tom pastel são cristãs ou kardecistas, porque é algo mais atual e inteligente. Mas respeitam a diversidade religiosa.

Mulheres em tom pastel fazem piadinhas fofinhas e sempre explicam “olha, foi brincadeira, tá!”. Não seja sarcástico com uma mulher em tom pastel, porque você pode ferir os sentimentos dela e faze-la chorar até o dia seguinte, coitada. Mulheres em tom pastel dizem que são sensíveis porque pra elas, sensibilidade é isso: se magoar fácil e chorar à toa.

E elas adoram chorar em filme. Choram vendo sessão da tarde, ou qualquer coisa que vá de Holywood diretamente pro Cinemark. As mais cultas não perdem um lançamento toda semana, seja ele qual for. Afinal, elas se dizem cinéfilas.

Mulheres em tom pastel são boazinhas, engraçadinhas, fofinhas, carinhosas, copreensivas, falam baixo, riem baixo, são companheiras, alegres e todo mundo gosta delas.

Mas eu prefiro ter um yorkshire.”

Blog Beijo de Arlequim

Dogma

(This may be dark, come on, i want you to meet my friend)

(Burn burn burn burn burn burn burn burn)

burn the witches, burn the witches
don’t take time to sew your stitches
burn the witches, burn the witches

Good is the thing that you favor, evil is your sour flavor
You cannot sedate all the things you hate
(Burn!)
(Burn fucker)

Burn your bridges, burn your bridges
Don’t take time to sew your stitches
Burn your bridges, burn your bridges

Good is the thing that you favor, evil is your sour flavor
I don’t need your hate, I decide my fate (burn)
You cannot sedate all the things you hate (burn)
(burn burn burn burn fucker)

(burn, Ow, fucker, mother fucking bitch, ow)

(Burn burn, ha oww burn burn ha oww Burn, burn fucker!)

good is the thing that you favor, evil is your sour flavor
I don’t need your hate! I decide my fate! (burn, fucker)
You cannot sedate, all the things you hate! (burn!)
I don’t need your hate, i decide my fate (Ah! burn!)
(burn burn burn fucker, burn!
Burn, oooowww burn….YEAH!)

burn it burn it burn it burn it burn it burn it burn it burn it
burn it burn it burn it burn it burn it burn it burn it burn it
burn it burn it burn it burn it burn it burn it! burn it! burn it!

Burn the witches, burn the witches,
Don’t take time to sew the stiches,
Burn the witches (BURN IT! BURN IT!) Burn the witches!

Burn burn fucker
burn burn fucker

Burn burn burn burn burn…..

rebote moral. my brain is making me sick.

24C3 – Closing Ceremony

Conforme prometido, relatos organizados e detalhados traduzidos do blog Catarsis(fotos aqui!):

“24C3: palestra de encerramento

Para romper um pouco a ordem lógica das coisas, e ser mais caótico (ainda que isto não seja meu estilo :P), vou começar pelo final: a palestra de encerramento do 243C [24o. Chaos Communication Congress].

Assim como a abertura, foi apresentado por Tim Pritlove, embora ele tenha começado cedendo a palavra a um membro [coordenador] da equipe de gerenciamento de rede, que luzia um moicano loiro e usava calça com estampa de zebra. Este explicou todos os incidentes que haviam tido para a configuração da rede, que não era nada trivial para um evento como este.

Para começar, os próprios requisitos físicos e de cabeamento do edifício provocaram problemas entre as fibras mono e multimodo e a conexão ao exterior, e com isto tiveram que estabelecer uma rede de área metropolitana para poder conectar as várias partes do centro de convenções… Não me lembro todas as cifras nem pude anotá-las, mas acredito que estávamos conectados a 2Gbps e que tiveram uns 5 ou 6 mil endereços MAC diferentes, e pelo menos 60 switches. Esta parte foi divertida, quando mostraram uma foto de algumas fibras fixadas com fita isolante, e alguns episódios que me lembraram mais a Espanha que a Alemanha, como de abrir um switch que fazia um barulho estranho e encontrar um capacitor solto e ter que soldá-lo de volta, ou usar fibras que servem para várias dezenas de kilômetros para conectar algo separado por alguns metros.

Depois, também interveio um representante da “Hacker Ethics Hotline”, que está em funcionamento há poucas edições, e ele contou que esta foi uma edição bastante tranquila… Tiveram apenas três ligações, e uma delas foi mais ou menos assim: “vocês tem conteúdo ilegal em seus servidores” – “Não, não temos nenhum conteúdo ilegal” [- e desligaram o telefone].

Tim retornou a palestra para mostrar alguns números sobre o evento, como por exemplo:

* Algo em torno de 4000 participantes [pra ser mais exata 4013]
* O palestrante mais jovem tinha 17 anos [e viajou mais de 16 mil km]

[Tim] mencionou Sputnik e Open Beacon, um sistema de rastreamento através de RFID que começaram a usar ano passado e seguiram usando neste. Disse que todos os dados que se haviam registrado seriam disponibilizados na internet, para quem quiser estudá-los.

Também fez referência ao protesto organizado que aconteceu em frente ao centro de eventos, e em geral parabenizou pelo nível de consciência entre os participantes a respeito dos problemas que o mau uso da tecnología pode provocar nas nossas vidas: falta de privacidade, controle social, retenção de dados, fraudes em eleições eletrônicas…

[Depois, ele] leu uma mensagem de [Tom Twiddlebit,] um dos fundadores do CCC com Wau Holland, que disse estar acompanhando o congresso desde casa [através de streaming], e que estava muito feliz de ver como o magnífico nível técnico das palestras o fazia voltar a acompanhar a reivindicação social.

Em um tom mais de brincadeira, Tim mostrou como as páginas de alguns partidos políticos alemães supostamente informavam do evento (não sei se foi algo permanente, temporário ou simulado). Agradecendo o pessoal, disse que uma das principais regras para um evento como este é que cada um deixasse as coisas como gostaria de encontrar-las … e ilustrou com uma foto de um kiosque web do centro de eventos onde alguém tinha instalado Linux e o fundo de tela era o logo do 24C3 🙂

A respeito dos “danos contra a propriedade”, mostrou um papel impresso [que resultou neste aviso], suponho que um boletim de ocorrência ou uma multa, de alguém que havia sido surpreendido realizando testes de campo com a nova versão do TV-B-Gone no MediaMarket em frente ao lugar do evento… Houve aplausos e gritos de júbilo 🙂

Esta última parte teve um aparte sensacional, na qual Johannes Grenzfurthner voltou a enlouquecer com a música “Surfen Multimedia” do grupo Eurocats, saltando e vociferando pelo palco em um tipo de karaoke enlouquecido que terminou com a participação de todo o público.

O Congresso terminou em meio a um grande aplauso, depois da despedida e da recomendação de estudar e compartilhar os conhecimentos com os pares.

en
As I promised, more detailed and organized reports, from our partner blog Catarsis:(pictures here)

“24C3: closing ceremony

To break the logical order and to be more chaotic (although that is not my style :P) I will start by the end: the Closing Event of 24C3.

As the Opening Event, it was presented by Tim Pritlove, although he started calling a member from the network team [coordinator], a guy with a blond Mohawk and zebra pants. He explained all the incidents involved in setting up the network, which was anything but trivial in a conference like this.

To start, the physical requirements and the cable structure in the building caused problems between the mono and multimode fiber inside and the outside network, so to fix it they needed to establish a metropolitan area network, in order to connect the different areas in the convention center. I don’t remember all the numbers and I couldn’t take notes, but I believe we were connected at 2Gbps and there was 5 to 6 thousand different MAC address, and about 60 switches. There was some jokes at this point, as they showed a picture taken of the fibers fixed with a piece of silver tape, and some other episodes that reminded me more of Spain than Germany, like to have to open a switch because it was making weird noises and to find a loosing capacitor rolling around, so they needed to sold it back again; or to use optical fiber with capacity for several miles, to connect some few meters.

After that, there was the “Hacker Ethics Hotline”, going for some editions now, and he told that this conference had very few incidents. They had just three calls, and one of them was: “You have illegal content in your server” – “No we don’t” [and hung up].

Tim continued the presentation, and showed some numbers about the conference, like:

* About 4000 attendees [it was 4013, to be exactly]
* The younger speaker was 17 years old [and traveled more than 16000 km to go there.]

He mention Sputnik and Open Beacon, a RFID tracking system started to be used last year and continued on this year. He said that all the data collected will be published online, to those who want to make any analysis.

He also talked about the protest they did in front of the convention center, and congratulated the awareness of the attendees about the misusages of technology and what that may represent for us: lack of privacy, social control, data retention, frauds in voting machines…

He read a message from Tom Twiddlebit, one of the funders of CCC together with Wau Holland, where Tom said he was watching the congress through streaming, and he was happy to see the quality of the talks, and how that was becoming mixed with activism.

Back to joking, Tim showed some politicians webpages supposedly to be promoting the conference (I don’t know if it was something permanent, temporary or fake). Congratulating the audience, he said that one of the main rules for a conference like that is that everybody leave things like they would like to find it… and he showed the concept with web-kiosk in the conference center where people had installed Linux and the background was the 24C3 logo 🙂

About the “damages against property”, he showed a paper [which probably resulted in this sign], I believe it was a police record, of someone who had been caught testing the new version of TV-B-Gone in the MediaMarkt, in the shopping in front of the conference… There was applauses and enthusiastic cheering.

This last part had a great intermission, where Johannes Grenzfurthner came back to go nuts with the music “Surfen Multimedia” from Eurocats, jumping and screaming on the stage in some kind of crazy karaoke which ended been followed by the crowd.

The Congress closed with a huge applaused, after the ending slide and the recommendation of studying and informing your peers.”

2008 Resolutions

* Learn French – now people will be able to complain about my writing in four languages!
* Find a new place, with a parking lot and close to my catsitter
* Buy a dish washer machine
* Do another singing course module

To resolve:
* Kung fu or regular gym? I still have those f****n’ 10kg to loose…
* a Asus EeePC or a Macbook?