Walk on

“And love is not the easy thing
Is the only baggage that you can bring
Love is not the easy thing
The only baggage you can bring
Is all that you can’t leave behind”

And if the darkness is to keep us apart
And if the daylight feels like it’s a long way off
And if your glass heart should crack
And for a second you turn back
Oh no, be strong

(Chorus)
Walk on! Walk on!
What you got, they can’t steal it
No, they can’t even feel it
Walk on! Walk on!
Stay safe tonight

You’re packing a suitcase for a place
None of us has been
A place that has to be believed to be seen
You could have flown away
A singing bird in an open cage
Who will only fly, only fly for freedom

(Chorus)
Walk on! Walk on!
What you got, they can’t deny it
Can’t sell it, or buy it
Walk on! Walk on!
You stay safe tonight

And I know it aches
How your heart it breaks
You can only take so much
Walk on! Walk on!

Home!
Hard to know what it is
If you never had one
Home!
I can’t say where it is
But I know I’m going
Home!
That’s where the hurt is

And I know it aches
And your heart, it breaks
And you can only take so much
Walk on!

You’ve got to leave it behind:

All that you fashion
All that you make
All that you build
All that you break
All that you measure
All that you feel
All this you can leave behind
All that you reason, it’s only time
And I’ll never fill up all I find
All that you sense
All that you scheme
All you dress-up
All that you’ve seen
All you create
All that you wreck
All that you hate

London Baby!*

en

Resuming: I’m moving to London, next Friday, April 24th. Continuing open source work, continuing at Intel, but now as Moblin Technical Marketing Engineer. Sorry for my laziness (exhaustion), but I sooooooooooooo need a margarita right now 😀

pt_BR
Ou “Minha vida parte 5” (infancia, adolescencia, universidade, São Paulo e agora…)

Preâmbulo:
– aos 18 anos cheguei a conclusão que o Brasil só tinha uma saída: o aeroporto internacional
– há uns dois anos atrás li uma reportagem onde nosso (insira aqui seu adjetivo preferido) presidente Lula dizia “quem não gosta do Brasil que vá embora”

Apesar disto, minha visão do Brasil mudou muito depois de viajar por tantos lugares. Alguns melhores, claro – a Austrália foi um dos lugares que mais me impressionou, e um dos lugares onde um dia ainda quero morar. Alguns piores – para passear a India é fantástica, mas depois de duas semanas eu estava tendo um colapso. Acho que só mesmo indiano para conseguir entender e lidar com aquele turbilhão – ou a Danese Cooper 🙂

Mais muitos lugares me mostraram que tudo tem seu lado bom e lado ruim. Eu sempre quis viver em um lugar onde o jeitinho não fosse a ordem geral. Meu grande gosto pelas viagens sempre foi o diferente. Quando vou a um lugar diferente, quero saber como vivem e pensam as pessoas dali. Viver e pensar como brasileiros eu já sei, já conheço. Quando você conhece outras culturas, outras maneiras de ver a vida, outros valores, outros costumes, é que realmente se tem noção do tamanho do mundo, sua cabeça expande. Comecei a dar mais valor ao que temos aqui, porém também crescia sempre a vontade de morar em um lugar muito diferente, onde houvesse mesmo um choque de culturas. Eu e minha eterna fuga da rotina, da zona de conforto…

E a partir do fim de semana que vem, meu endereço será lá em Londres. Vou trabalhar como Moblin Technical Marketing Engineer para Europa da Intel. Está sendo divertido voltar a dedicar-me à parte técnica – gente, como se enferruja em dois anos! O trabalho é novamente um desafio, desbravar uma área nova na empresa em um território não coberto. As condições são boas, a equipe já me conhece, meu novo gerente tem me apoiado muito com todo o rolo de negociações, visto, mudanças… e aqui vou eu! Para a Capital do Mundo…

Quando aceitei a proposta da Intel dois anos atrás, tive que declinar uma oferta também fantástica lá mesmo em Londres, mas depois de duas semanas agonizando a indecisão, eu queria o desafio da Intel, que representava uma área completamente nova para mim. Após o período de lua de mel com a empresa, quando se começa a ver os problemas, vi que realmente me identifico aqui. Além da liberdade e confiança que sentia depositados em mim, nas minhas decisões e sugestões. Claro que não foram apenas flores, tive grandes frustrações, mas isto é verdade para qualquer empresa, mesmo se você é o dono dela… até que Londres voltou a pintar no meu caminho. E desta vez, não tenho dúvidas do que quero, do que me oferecem, e do desafio.

Parto dia 24 de abril – sim, daqui poucos dias. Estou convencida que não importa quanto tempo eu passe arrumando e resolvendo, alguma coisa ainda vai ficar para trás. Tudo bem. Vou me espalhando… e aqui vou eu, nova fase, novo capítulo. Quem sabe quais novas aventuras isto vai me levar?

Ficam aqui alguns pensamentos para quem quiser…

– “Não tem como” geralmente é apenas uma maneira de desencorajar quem não está realmente interessado (e poupar trabalho para quem o pronuncia)
– Nunca desista de seus sonhos. Eles podem ser adiados, mas não os esqueça
– O que realmente importa nesta vida é o que se leva dela depois que não estamos mais aqui
– Geralmente, quando você deixa de perseguir ferrenhamente algum objetivo e deixa simplesmente a vida seguir seu curso, seu objetivo finalmente se concretiza
– Nunca duvide dos seus sonhos, nem das suas intuições. Você pode conseguir tudo, tudo que quiser, desde que esteja disposto a pagar o preço
– Cuidado com o que você deseja, você pode conseguir 🙂

* http://www.youtube.com/watch?v=1HBGJVXSzas

Aproveitando que você leu até aqui, estou vendendo minha lava-louças e uma chaise longue preta, muito fofa. Se interessar, siga os links 🙂