Almost one year

Quase um ano depois (pt_BR)
Traduçao feita a bronc^H^H^H^H pedidos:

Semana passada recebi uma carta da imobiliaria dizendo que meu contrato estava para vencer e se eu queria renovar. Nossa, já passou um ano inteiro? Quase…

Quase um ano depois e uma visita ao Brasil me deram mais confiança na minha decisão, e eu posso dizer que este está sendo o periodo mais feliz da minha vida. Depois de quase quatro anos de namoro, Hector veio morar comigo. Estou viciada em chá, um a tarde e um descafeinado antes de dormir. Eu mudei meu cafe para descafeinado e minha Coca Cola Zero para Coca Cola Diet Descafeinada e curei meus problemas de insônia. O trabalho vai bem, vivendo momentos no mínimo interessantes, e ultimamente quase todo o meu tempo tem sido dedicado a aprender C++ e Qt. Minha unica resolução de ano novo eh ir para a academia 5x por semana, inspirada pelo video 365 dias de exercicio – o que Murphy não está disposto a cooperar* – e deixar meu cabelo voltar à cor natural, apenas para lembrar que cor eh esta. Eu ate cortei um pedaço grande dele para tirar a parte mais estragada, de tantas tinturas e loucuras eu tenho feito nos ultimos 15 anos. A primavera por aqui começa a mostrar as primeiras cores, e a vida segue bem.

Um ano depois, as experiências que eu tive por aqui tambem foram bem diferentes…

Sistema de Saude

Eu finalmente consegui entender e usar o sistema de saude por aqui. O NHS, o sistema inglês, supostamente eh um dos melhores do mundo. Mas para alguem acostumada a usar o sistema de saude privado em São Paulo, o que eh excelente, foi um choque. Aqui eu preciso ir consultar meu GP, clinico geral, para tudo. O clinico gasta no máximo 10 minutos em cada consulta, e decide se vai te dar alguma medicação ou encaminhar para um especialista. A primeira vez que eu consultei um porque minha fibromialgia estava atacando, recebi um anti-inflamatorio que quase reabriu minha gastrite, então eu nao estava muito entusiasmada para voltar. Porem cinco meses atras eu cai enquanto tentava andar de patins, e machuquei meu ombro. Eu pensei que iria curar por si mesmo, porem depois de tanto tempo, ja era hora de procurar ajuda. Eu fui ao meu clinico, que disse que provavelmente eu apenas precisaria de alguma fisioterapia. E ainda me disse que ainda bem que eu tinha plano de saúde privado pois assim poderia conseguir mais rapidamente, se fosse esperar pelo sistema publico levaria meses para conseguir.

Infelizmente a fisioterapia nao foi suficiente, e depois de três sessões ficou claro que eu ia precisar de recursos mais fortes. Mas daih eu precisava voltar ao meu clinico para informar e pedir outro encaminhamento para um especialiasta. Agora começa meu calvário… primeiro, encontrar um especialista. Como eu iria usar meu plano , o clinico não me deu nenhuma referência, apenas disse para eu procurar no Google ou nas páginas amarelas. Meu seguro de saúde me disse que não poderia me dar nenhuma referência porque eles pagam os médicos depois, o que para eles é conflito de interesse. Então começo a buscar hospitais online e ligar para tentar marcar uma consulta. Depois de muito ligar e ser transferida de ramal em ramal ate conseguir chegar a uma clinica ortopedica, e a primeira pergunta é se eu tenho a carta de referência do meu GP. Eu repondo “Sim!”, bem feliz. Então, vem a decepção – ‘o seu GP é que tem que nos contactar para uma consulta, não você, não é assim que funciona’. A esta altura eu comecei a chorar, de frustração, de dor no ombro, de confusão. Eu não entendia o processo, eu não entendia o sotaque da maioria das pessoas que eu tentava falar por telefone, elas não entendiam o meu, e parecia que eu estava em um loop. Quando me acalmei, comecei a pensar e tive uma idéia, liguei novamente e quando me perguntaram se eu tinha a carta do GP, eu respondi que tinha seguro privado. Bingo! Ou quase, eu teria que esperar por 3 meses para uma consulta. Finalmente eu consegui uma referencia com minha fisioterapeuta, e consegui uma consulta com um especialista em traumas/esportes/membros superiores(ombro). Até agora eu não entendi esta história de especialistas, no Brasil seria um ortopedista e pronto. Aqui eles tem osteopata, que eu não sei bem onde se encaixa, especialistas em traumas e cirurgião ortopedista. E sem mencionar o plano de saúde debatendo se o médico era um ‘medico’(physician) ou ‘consultante’, e que não poderia requisitar exames, o que mais tarde eles pareceram esquecer. Bom, no fim, consegui o pedido e fazer a ressonância magnetica, e depois uma injeção de cortisona diretamente na bursa. Você sabe que está ficando velha quando o médico te explica o que é bursite. A injeção foi horrível, doeu pacas e eu acho que fiquei um pouco chapada, eu mal conseguia formar frases completas. A dor foi imediatamente piorada depois da injeção de tal forma que nenhuma posição melhorava. Mas depois de algumas horas, eu comecei a sentir meu ombro melhor do que antes da injeção. Nos próximos dias foi melhorando cada vez mais, e apenas uma semana depois eu já estava quase completamente recuperada. Agora estou fazendo fisioterapia para fortalecer os músculos e melhorar a postura. O desafio agora é convencer minha personal que isto não quer dizer que eu já posso usar pesos.

Eu ainda não estou segura sobre a grande diferença nos sistemas. Para ver meu GP, eu tenho que marcar uma consulta, que não raramente leva dois dias. No Brasil eu iria sem consulta marcada e esperaria 3hs para ser atendida – literalmente, eu tive que fazer isto durante as férias. Ambos os sistemas me fariam esperar meses pela fisioterapia, e Deus sabe quanto tempo pela ressonância. Talvez no Brasil seriam anos ao invés de meses? Mas sabe, saúde é algo muito caro. Eu recebi o extrato das despesas que o plano está cobrindo, e apenas a ressonância custou 799 libras, quase 2200 reais. Não é de se admirar que os sistemas de saúde pública sejam tão problematicos em todo lugar…

Ah, e eu disse que Murphy não está afim de cooperar com minha resolução de treinar mais vezes por semana porque apenas 10 dias depois das ferias, quando meu corpo estava começando a entrar no ritmo novamente, eu caí na rua e machuquei meus joelhos. Então por quase 3 semanas, nada de academia. Depois dos joelhos melhorarem, eu ainda precisava poupar o ombro. Mas eu sou teimosa, eu vou continuar com minha resoluçao. E depois de estar me sentindo miserável, eu realmente valorizo minhas juntas, o simples fato de andar onde eu quero e rotacionar meus braços me deixa super feliz. Dancinha! \o\ /o/ _o_ |o|

Roupas

Eu ainda estou aprendendo a me vestir aqui, e mais importante, o que comprar. Quando o verão acabou e o outono começou, eu descobri que estava sendo otimista demais com minhas compras. O casaco mais pesado que eu tenho, um sobretudo de lã grosso que eu comprei em Portland e usei no máximo 3x no Brasil, rapidinho não era mais suficiente. Tamanhos também são complicados. Você não pode comprar um casaco no seu tamanho, você tem que comprar um tamanho maior para poder colocar uma blusa de lã ou moletom por baixo. E infelizmente pra mim, meu ponto fraco são meus pés, o que quer dizer que eu não posso usar meus sapatos preferidos sem congelar meus pés, o que me salvou foi uma bota de neve que minha sogra me deu. Para resistir ao frio, você começa a adicionar camadas e camadas de meias, meia-calça, polainas, moletom, casaco, camisas de lã, e sobretudo. Isto e mais luvas, cachecol e um chapeu. Mas isto dura 10 minutos, até você entrar em um trem ou ônibus e começar a tirar tudo. Então eu comecei a perceber que não valia a pena o esforço, era sempre no máximo uma quadra até o ponto de ônibus ou do ônibus/trem para o escritório. E mesmo com todo este esforço, meu nariz ainda congelava. Ver a neve pela primeira vez foi muito legal – especialmente porque eu experimentei apenas dois dias antes das férias e dois dias depois – mas quando está abaixo de zero, até meus dentes doem se não tenho o rosto protegido dentro da gola do casaco. Então eu tive que aprender também a planejar de acordo com as atividades. Se eu vou estar na rua por algum tempo, vale a pena investir e se encapotar. Se é apenas uma caminhadinha rapida, não vale a pena. Agora é aprender quando fazer o que, eu falhei miseravelmente em calcular isto a ultima vez que fui a Camden Town, um bairro de Londres que parece uma grande galeria do rock. Mas agora eu encontrei o maravilhoso mundo das malhas com isolamento térmico, o que me deixa novamente feliz. E outra coisa, o número de casacos e camadas geralmente entrega quem é de fora.

Sapatos também são complicados, porque são muito mais aleatórios do que parece. Supostamente, meu tamanho converteria para um tamanho 6. Muitos sapatos são importados de outros países da Europa, onde o meu tamanho é 39. Mas o problema é, isto se aplica praticamente metade das vezes, nas outras vezes pode ser um 5 ou 38. O que é ainda pior quando sua loja de sapato é online.

Eu finalmente aceitei o fato de que não existe tecido que usem para fazer calças apropriadas para esta temperatura. Eu tentei meia-calça fio 80 com saia, e realmente não faz muita diferença a um par de calças jeans. O que claramente mostra quem são os nativos é o fato que eles não precisam de camadas. Eles saem bravamente com as pernas nuas ou apenas um casaquinho sobre a camiseta. Amostrados. Eu nunca tive coragem de perguntar se eles tomaram algum conhaque antes de sair…

Cozinhando

Você nunca vai acreditar em quanto vocabulário você realmente precisa para tarefas simples como as compras da semana. O que exatamente é basil? O que é celeriaco? Como vou cozinhar feijão sem panela de pressão? Alias, onde encontro feijão preto? Eu prefiro sirloin, rump steak ou angus? Ou deveria apenas para de comer carne porque esta história é muito complicada? Com os preços da carne aqui, é até uma idéia tentadora. O melhor é que bacalhau fresco, atum e salmão aqui são muito mais baratos que carne vermelha, o qual eu já estava diminuindo a quantidade consumida. E sinceramente, um bom bife fresquinho de atum grelhado é melhor que carne.

Eu estou até testando novas receitas. Comprei minha própria cassarola, e fiz um cozido de ovelha, que cozinha lentamente por 1:30hs. Ficou bom, mas dá pra melhorar. Geralmente preciso tentar 3x para acertar uma receita. Eu fiquei tão encantada pelo filme Julie & Julia que eu comprei o livro e aprendi a fazer ovos ponché, perfeitos. Toda fim de semana eu tento algo mais elaborado, tipo batata fungui, e tem sido uma grande tradição.

Notícias daqui por jornais brasileiros

É inacreditável a quantidade de notícias completamente irrelevantes e completamente ridículas que os jornais brasileiros escolhem para publicar sobre a Inglaterra. Os favoritos são os estudos científicos mais absurdos possíveis, mas eu diria que 90% do que se publica no Brasil não sai nos jornais locais. E o pior é que são anunciados como se fossem algum grande acontecimento aqui. Festivais que ninguém ouviu falar, lojas ou restaurantes obscuros, histórias bizarras contadas por algum tablóide. Algumas vezes eu acho que fazem de propósito, para parecer que tudo por aqui é ridículo.

O que até faz sentido, na verdade. Se eles publicam o que realmente está acontecendo, pode levantar comparações indesejáveis com o Brasil, afinal, há que manter-se a imagem do melhor país do mundo, né? Por exemplo, um dos maiores debates aqui nos últimos tempos foi o escândalo do abuso das despesas parlamentares. Mas isto só estava em discussão porque todo mundo tem acesso as despesas declaradas, inclusive as do primeiro ministro. Certamente, houve muitas discussões e políticos tentando provar que não haviam feito nada de errado, mas no fim das contas, os contribuintes tem todo o direito de saber onde o dinheiro está sendo usado. Já no Brasil… bom, não vamos entrar neste assunto outra vez né?

No começo eu li algumas vezes um blog de um cara vivendo em Londres, mas ele era tão chato que eu não aguentava, sempre reclamando, de uma maneira bastante grosseira e muitas vezes achando que todo mundo compartilhava a opinião, e eu sabia que não era verdade. E não é que eu não goste de ranzinzice, pelo contrário. Meus programas de TV preferidos atualmente são Velhos Ranzinzas e Jovens Resmungões. Mas existe uma grande diferença entre ser ranzinza de uma maneira sarcástica e inteligente ou ser apenas sem noção. Então, eu estou evitando ler notícias sobre a Inglaterra na imprensa brasileira, não vale a pena.

Notícias do Brasil aqui

Isto é algo que ainda me deixa pasma. Os responsáveis pelas Relações Públicas deste governo são os melhores de toda a história. Tipo, uma semana depois do Rio de Janeiro ser declarado a sede das Olimpiadas de 2016, eu pensei ‘isto vai ser uma bomba’. Dias depois, nada. Eu comecei a ficar intrigada, como assim ninguem estava falando a respeito, ninguém me perguntava… procurando no site da BBC, encontrei uma nota pequena a respeito, em um canto sem muita importância. A visita do presidente iraniano foi outra surpresa. Enquanto nos jornais brasileiros Lula expressava toda sua amizade a Mahmoud Ahmadinejad, defendendo sua eleição e dizendo sandices tipo ‘não conheço ninguém, a não ser a oposição, que tenha discordado da eleição do Irã… Por enquanto, é apenas, sabe, uma coisa entre flamenguistas e vascaínos’; no exterior Lula aparecia como alguem tentando dialogar e arrazoar com Ahmadinejad. Tipo, SRSLY? O que será que precisa para o mundo começar a perceber que entre Chavez e Lula não tem assim tanta diferença? Olha os argumentos de ambos, são iguaizinhos. Diga-me com quem andas que te direi quem és – os melhores amigos do Lula ultimamente são o Chavez, o Fidel, e agora, Ahmadinejad.

Ah, claro, e tambem tem a parte comica. A ultima que eu vi foi ‘Brasil acaba com a corrupção’ e os comentários de ‘que exemplo a seguir!’. Daí eu decidi parar de ler jornais brasileiros tambem. Pra quê?

Xo-Xo, Jovem Resmungona

en_EN

So last week I received this letter from my landlord – actually the agency representing my landlord – saying that my contract was due and if I wanted to renew it. Wow, one entire year already? Almost…

Almost one year later and one visit back to Brazil has made me more sure about my decision, and I can say that’s the happier period of my life. Hector moved in with me, finally, almost four years now. I’m addicted to tea, one in the middle of the day and one decaf before going to bed. I changed my coffee and Coke to decaf and this fixed my insomnia problems. Work is going great, interesting times, and I’m spending most of my time trying to learn C++ and messing around with Qt. My only resolution for this year is to go to the gym 5x a week – which Murphy seems to disagree* – and grow my hair back to its natural colour, just to remember how it is like. I even cut a large piece of it, so damaged it was from all the tints I’ve being applying in the last 15 years. Spring is showing its first colours, and life is really good.

One year later, the experiences I had were also different.

Health Care

I finally understood and hacked down the healthy system. You see, NHS, UK’s health system, is suppose to be one of the best in the world. But I was used to the private system in Sao Paulo, which is really really good. In here I need to go see my GP first for anything, who only spends maximum 10min with me before deciding if s/he’s going to give me some medicine or send me to a specialist. First time I tried, because my fibromyalgia was kicking in, I got a prescription for an anti-inflammatory so strong it almost gave me my gastritis back. So I wasn’t trilled to go back, but I had to. Six months ago, I was trying to skate, and I felt down on my shoulder. I thought it would heal itself, but after that long, I was just tired of waiting. I went to my GP, who said that probably I only needed physiotherapy to get it back on shape. Since I got private insurance, I was able to do it quickly, otherwise it would be several months to get it.

Unfortunately, physiotherapy was not enough, and after three sessions it became clear I would need stronger resources. But I had to go back to the GP to inform and get a request for a specialist. This was the most frustrating part. First, to find the doctor. Since I was going through the private insurance, the GP didn’t gave me any names, just said to check on the yellow pages or Google. My private insurance company wouldn’t give me any referrals either because they think it’s ‘conflict of interest’, since they pay the specialist. So I found some hospitals online and called in to book an appointment. Going around and around trying to finally get the number for the orthopaedic clinic, extension and whatever to finally try to book a consultation, the first questions is if I have a referral from my GP. Yes, I do! Then the disappointment – your GP needs to send the request, not you. At this point, I started crying, so much frustration, I couldn’t understand the process, I couldn’t understand the accent most people I was trying to contact and they couldn’t understand mine, I was in pain and feeling in a loop without a way out. Then I calmed down and started thinking, I called back to the hospital and when they asked me if I got a referral, I said ‘I have private insurance’. Bingo! Or almost, I would have to wait 3 months to get an appointment. I finally got help when my physiotherapist gave me an indication, and I was able to book an appointment with an Injuries/Sports/Upper Limb(shoulder) Specialist. So far, I still don’t understand the specialities: in Brazil it would be an orthophedist and that’s it. Here they have an osteopath, which I’m not sure where fits, injuries specialists and the orthopaedic surgeon. And let’s not even talk about the health insurance saying the doctor was a physician and not a consultant(?), and could not request exams, which later they seemed to think otherwise. But even so, I managed to get a request and then a shoulder MRI, then a cortisone injection directly to the bursa. You know you’re getting old when your doctor explains to you what is bursitis. The injection was horrible, painful and I think got me high, I wasn’t able to make full sentences. The pain was aggravated immediately after the injection, so it was a miserable day where no position would make it better. But some hours later in the evening, I started to feel my shoulder better than before the injection. In the next days, it was getting better and better, and only one week later I’m fully recover. Now doing physiotherapy to strength the muscles around and get a better posture. The trick now is to convince my trainer that this doesn’t mean she can have me lifting weight yet…

I’m still not sure about the big difference on the systems. To see my GP, I need to make an appointment, and it’s not unusual to have to wait two days for that. In Brazil I would make no appointment and wait for 3hs – literally, I had to do that while I was there during the holidays. Both systems would make me wait for months for physiotherapy, and God know how long for an MRI. Maybe in the case of Brazil it would be years? But health it is really expensive. I received a letter from my insurance company stating the MRI costed 799 pounds, almost 2200 reais. No wonder the system is so difficult anywhere…

Oh, and I say Murphy disagree with my resolution to go to the gym more often because about 10 days after the holidays, when my body was starting to get back on track fitness-wise, I fell down on the street and hurt my knees badly. So, no gym for almost 3 weeks. After getting my knees better, I still need to go slow on the shoulder. But I’m persistent, I will continue to pursue my resolution. And after being that miserable, you really valuate your joints, so just the fact that I can walk and rotate my arms make me very happy. Let’s dance! \o\ /o/  _o_ |o|

Clothes

I’m still learning what to dress, and more important, what to buy. Once summer was over and autumn started to kick in, I discovered that I was being very optimistic with my purchases. The heaviest coat I had, a wool full length coat bought in Portland and used only there and about 3x in Brazil, very soon was not enough. Sizes are also tricky. You can’t buy a coat in your size, you need to buy one size extra so you can put a jumper or sweater underneath. And unfortunately for me, my weakest part are my feet, which mean I can’t use my shoes without freezing my toes. Then you start adding layers and layers of leggings, socks, sweaters, wool shirts and coat. Plus gloves, scarf and a hat. But then you enter the bus or train, and half of that goes off immediately. So I started realizing all that effort was mostly to walk one block to the bus station, and one block to work. And even with all this effort, my nose would freeze. Snow was really cool – specially because I only got like four days of it – but makes my tooth hurt if my face isn’t protected. So I had to learn to adjust the layers according to the plan. If I’m going to stay outdoors for some time, it’s better to be very warm. If it’s just a couple of blocks, not so much. Now the trick is to be able to predict exactly how much are you going to be outdoors, I miserably failed to predict that last time I went to Camden Town… but now I found the wonderful world of insulated fleeces, so I’m good. And usually, the amount of coats and layers tell off who is new in town.

Shoes are also being tricky, because it’s much more random than should be. Supposedly, my size would convert to a size 6. Many shoes here are sold in the European metric, in which case would be 39 for me. But the problem is, almost half of the time, I find that I may be a size 5 or 38. Which is horrible when your favourite shoe store is online…

I finally accepted the fact that there is no fabric to make trousers proper for winter. I tried the leggings 80 with skirt, and it doesn’t make much difference from a pair of jeans. What clearly distinguish the natives from outsiders is the fact that they don’t need layers. They go bravely with bare legs or just one sweater over the t-shirt.  Show off. I never got the guts to ask if they had any cognac to heat up before going out…

Cooking

You never realise how much vocabulary do you actually need for simple things like shopping. What is basil, exactly? What is celery? How can I cook black beans? And where are the black beans, by the way? Do I like sirloin, rump steak or angus, or should I just stop eating meat? With those prices, it’s a tempting idea. The best thing is that cod, tuna and salmon are cheaper than meat, which I was reducing the intake anyway. And I gotta tell you, sometimes a fresh tuna steak is better than meat.

I’m even trying some new recipes. I bought my own casserole and did lamb stew, which cooks slowly on the oven for 1:30hs. It was good, but I can do better. It usually takes me three trials to master a recipe. I was so captivated by the movie Julie & Julia that I bought the book, and learned how to make perfect poached eggs. Every week we make something more elaborated, like potato fungi, and it’s a great tradition so far.

Oh, and for the smart asses there: yes, I know which meat cuts are what, and my favourite is the same: fillet.

News from here outside

It’s unbelievable the amount of completely irrelevant and utterly embarrassing news Brazilian newspapers choose to publish about Britain. Their favourites are the weirdest possible ‘scientific research’, but I would say 90% of the news you read about UK in Brazilian papers are not in the local newspapers. And the worst is that sounds like that was the big news around here. Festivals no one heard about, obscure stores or restaurants, bizarre stories told by some tabloid. Sometimes I think they do that just to make this image that here everything is about this silly issues.

Which would make sense, because if they publish the real thing, the readers either won’t be interested or they would start comparing with Brazil. For example, one of the biggest discussions of last months was around the parliamentary expenses. But that was only in discussion because everybody has access to what they declare as expenses. Sure, there was many arguments and politicians trying to pretend there was nothing wrong with it, but in the end of the day, contributors have the right to know where their money is being used. Back to Brazil… no need for comments, right?

Back in the first months I started reading this blog from this guy living in London, but he was so annoying I couldn’t bear it, always complaining in a very rude way and many times pretending his opinion was shared with everyone living here. And it’s not like I don’t like grumpiness, on the contrary. My favourite TV shows now are Grumpy Old Men and Grouchy Young Men. But there is a difference between being grumpy in a sarcastic intelligent way and being just rude and clueless. So, I’m avoiding reading news about UK in Brazilian press, it just doesn’t worth it.

News of Brazil from here

That is something that I’m still not over. The Public Relationships team working for this government it’s the best team evah. I mean, only a week after Rio de Janeiro was announced as the host for the Olympics 2016, drug dealers shot down a military helicopter – and here no one knew it. When I saw the news in Brazilian online newspapers, I though “this is going to be a bomb”. But nothing. Several days later, I couldn’t understand, so I started looking for related news at BBC news website and others, and only found a small note about it, thrown at some corner with no importance. The visit of Iranian president was another point to understand that. While on the Portuguese news websites Lula was supporting  Mahmoud Ahmadinejad, defending his election – he literally said the protesters were just a political opposition minority, and it was a matter similar to rivalry in football – and another insanities, outside he was being portrait as someone trying to talk some senses into Ahmadinejad. I mean, really??? What will take to the world to understand that between Chavez and Lula there isn’t that much of difference? That there is a reason why Lula’s best friends are Chavez, Fidel, and now, Ahmadinejad?

There are also the comic pieces. The last one was “Brazil ends corruption“, and people claiming “what an example to follow!”. Oh geez… but then I decided to stop reading Brazilian newspappers. Why would I?

XoXo, Grouchy Young Woman