100 anos de Grace Hopper

Conforme noticiado pelo Slashdot e BR-Linux.org, dia 10 de dezembro é aniversário do nascimento da Almirante Grace Hopper, que em 2006 faria 100 anos.

Grace Brewster Murray nasceu em Nova York, e chegou ao PhD em Matemática em 1934, com a tese “Novos critérios de irredutibilidade”(relacionado a polinômios). Seus feitos mais memoráveis são a criação do primeiro compilador, e o Cobol, que segundo o Wikipedia foi inspirado no FLOW-MATIC(de autoria dela), a primeira linguagem de programação a se aproximar da linguagem humana ao invés da linguagem de máquina.

Porém, em uma visita ao Brasil, tivemos a honra de conhecer algumas outras histórias curiosas a respeito dela de alguem que a conheceu pessoalmente e esteve em uma de suas palestras, Jon Hall Maddog. A primeira é que ela dizia que era melhor pedir desculpas que pedir permissão. Quando você queria fazer alguma coisa, se você dissesse ao seu chefe “posso fazer tal coisa, será bom por isto isto e isto”, geralmente ele vai pedir que vc preencha um relatorio, escreva porque seria bom, qual a previsão, o cronograma, as consequencias… O invés disso, você vai lá e faz. E quando vierem dizer “mas você fez isto!” você diz “desculpe, fiz, mas olha como ficou legal!”. Deve ter funcionado com ela, pois ela tentou se aposentar pelo menos 5 vezes(ela se aposentava e eles a chamavam novamente para o trabalho).

Outra foi sobre os nano e pico segundos. Ela é do tempo daqueles computadores enormes, que processavam informações em segundos ou centésimos de segundos. Ela certa vez conversando com um cadete estava falando: “sabe, eu posso entender o que é um centesímo de segundo, até mesmo um milésimo de segundo, mas não consigo entender um nanosegundo. Faz o seguinte, me arrume um nanosegundo”. Ele perguntou “como, oficial?” e ela repetiu “me arrume um nanosegundo”. Ele acatou, e frequentemente quando ela o encontrava, ela cobrava novamente “e o meu nanosegundo? Eu não vou esquecê-lo, me consiga um nanosegundo”. Meses depois, este cadete vem até ela e entrega uma folha de papel. Ela pergunta “o que é isto?” ele diz “isto é o seu nanosegundo. Esta é a distância que a luz percorre em um nanosegundo”. Ela ficou encantada, e como sempre fazia palestras sobre computação, passou a distribuir nanosegundos nas palestras: folhas de papel de 29.9792458 cm(segundo o wikipedia a medida que a luz percorre em um nanosegundo é esta). Alguns anos depois, ela encontrou este mesmo
cadete, mas agora ele já era capitão. Ela disse “sabe, você fez um trabalho tão bom aquela vez com o nanosegundo, será que você conseguiria para mim um picosegundo?” Desta vez ele levou menos de um dia, aparecendo no outro dia com uma semente de pimenta preta, e a depositou sobre a mesa. Ele diste “este é o seu picosegundo. Em um picosegundo, a luz vai de um lado a outro desta semente.” A partir de então, ela passou a distribuir picosegundos nas suas palestras, e segundo Maddog, ele ainda tem o dele guardado.

Obrigada Almirante, por seu exemplo nos encorajar e servir de inspiração a todos.

Esta e outras mulheres que fizeram e fazem parte da história da computação e do software livre também se encontram na Wiki do Linuxchix Brasil.

6 thoughts on “100 anos de Grace Hopper

  1. Hi Sulamita,

    I can’t read Portugese, but can see this is about Grace Hopper — she’s a hero of mine & I was reading about her earlier tonight. I really like her dedication to improving technology, never giving up, and pushing to find new ways to do things. I think it shows an optimisim that technology is fundamentally about helping people, which she backed up with her actions.

  2. Opa,

    Esqueci de falar ao meu pai p/ q ele fizesse um brinde em homenagem á almirante. Afinal, ele foi “coboleiro” nos anos 70, no tempo do cartão perfurado, mainframes IBM, sistemas operacionais batch, coisas “arcaicas” como… Unix! Hehehe!

    Boa lembrança!

    PS: Legal, ela era matemática também? Interessante… Queria ler a tese dela.

  3. Sua história sobre a Grace está um tanto fantasiosa. Veja o que a wikipédia (que vc mesma cita) descreve sobre a anetoda do nanosegundo:

    http://en.wikipedia.org/wiki/Grace_Hopper

    Grace Hopper is famous for her nanoseconds visual aid. People (such as generals and admirals) used to ask her why satellite communication took so long. She started handing out pieces of wire which were just under one foot long, which is the distance that light travels in one nanosecond. She gave these pieces of wire the metonym “nanoseconds.”

    Consulte melhor suas fontes. 😉

  4. Eu acho que seu ingles e interpretação de texto também precisam melhorar, porque neste link aí a unica coisa que diz é que ela distribuia “cabos de cerca de um pé”(que representa adivinha, 30cm) para seus superiores. O que o Maddog contou e ouviu dela mesma, foi porque ela fazia isto, e como começou. Os papeis ela distribuía em palestras acerca de computação. Duh…

    E btw, wikipedia está constantemente sob revisão, atualização sobre dados como estes. Portanto, melhor não assumir que lá é tudo verdade definitiva. O que neste caso, em específico, é apenas complementar.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s